João Roma participa de entrega de unidades habitacionais no Rio Grande do Norte

Durante a entrega das casas, o ministro lembrou da aprovação da PEC dos Precatórios, que viabiliza os R$ 400 do programa Auxílio Brasil para os mais necessitados

Publicado em 03/12/2021 - 21:06

Parnamirim (RN) – O ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), participou nesta sexta-feira (3) da entrega de unidades habitacionais e da assinatura do termo de Compromisso (TAC) para a construção do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e para a autorização de recursos federais para o Programa de Cisternas, Parnamirim, no Rio Grande do Norte.

Além de Roma, participou também o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Em seu discurso, Roma destacou que o governo federal tem feito investimentos para melhorar a vida das pessoas, dando suporte a quem mais precisa, e que tem feito os recursos chegarem na ponta, de forma a melhorar a qualidade de vida da população.

“É muito importante a gente saber que as obras estão sendo protagonizadas neste governo. E esse governo não tem esse negócio de empurra pra lá, empurra pra cá, dizendo que isso é responsabilidade de fulano ou de Beltrano. Não, esse governo tem união, tem proximidade porque o que está na mesa, e que no final o presidente Bolsonaro cobra, é um assunto sendo resolvido lá na ponta. É isso que a gente tem feito”, disse o ministro.

“Aqui, nós estamos anunciando recursos para o CREAS e estamos também avançando no programa de cisterna. Enquanto Rogério Marinho viabiliza essa infraestrutura toda para trazer a água, a participação do Ministério da Cidadania nisso é transformar isso em reserva de água na casa das pessoas para fazer água de beber, e esse é o programa do de cisternas”, complementou.

O ministro destacou o trabalho integrado entre as pastas do governo Bolsonaro, para fazer chegar à população o mínimo de dignidade. Ele também lembrou da aprovação da PEC dos Precatórios, que viabiliza os R$ 400 do programa Auxílio Brasil para os mais necessitados, além da ampliação do número de beneficiários para mais de 17 milhões de famílias.

“São milhões de famílias em todo o Brasil que estão sofrendo nesse momento. Sabemos que nessa pandemia todo mundo sofreu o mundo inteiro. O Japão está sofrendo com essa pandemia, na Inglaterra está faltando comida na prateleira e todo lugar do mundo está tendo problema, está tendo inflação. Nosso Brasil é maravilhoso e tem um povo extraordinário. Aqui não está sendo desabastecido, mas agora pesa mais pra quem? Para os mais pobres”, afirmou.

O novo programa social, ele salientou, vai além de uma estrutura de proteção social e estimula que a pessoa possa transformar sua realidade social e que possa ser mais protagonista na sociedade e ter melhor qualidade de vida pra sua família. “Isso é dignidade para o brasileiro, e é dessa forma que a gente tem que preservar e unir o nosso Brasil, pois temos muitas diferenças culturais nesse Brasil, mas o que nós precisamos é diminuir as distâncias sociais, para que possamos nos orgulhar uns dos outros e possamos dar as mãos para superar essa dificuldade”, frisou.

 

Texto e foto: Ascom – Ministério da Cidadania

Reportar Erro
Send this to a friend