Unicef lança guia para evitar evasão escolar durante e pós-pandemia

Guia visa apoiar estados e municípios na garantia do direito à educação de crianças e adolescentes durante a pandemia

Publicado em 07/08/2020 - 10:30

Brasília (DF) – Com o objetivo de ajudar as escolas no planejamento de reabertura ou de readequação de ações, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou o guia Busca Ativa Escolar em Crises e Emergência para apoiar estados e municípios na garantia do direito à educação de crianças e adolescentes durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Segundo o Unicef, diante da pandemia, as escolas precisaram ser fechadas, deixando cerca de 35 milhões de crianças e jovens longe das salas de aula. Embora tenham sido criadas opções para a continuidade da aprendizagem em casa, nem todos estão conseguindo manter o processo de aprendizagem, principalmente os mais vulneráveis.

Para reverter esse quadro, mesmo enquanto as escolas ainda estão fisicamente fechadas, o Unicef afirma que é preciso ir atrás de cada um dos alunos e tomar as medidas necessárias para que consigam retomar os estudos. Esta é a proposta do Busca Ativa Escolar, estratégia lançada em 2017 e agora adaptada para situações de calamidade pública e emergências, como a pandemia da Covid-19

O guia busca ativa escolar visa ajudar as escolas no planejamento de reabertura ou de readequação de ações. Está dividido em três seções, com orientações para potencializar a busca ativa e enfrentar a crise, e orientações para o acolhimento e o cuidado dentro das escolas, divididos por etapa escolar. Além disso, traz conteúdos de referências que podem ser usados pelos municípios.

De acordo com a agência da Organização das nações Unidas (ONU), mesmo com as opções de atividades para a continuidade das aprendizagens em casa, pelo menos 4,8 milhões de crianças e adolescentes em todo o Brasil não têm acesso à internet em casa, “além de outros milhões com acesso precário ou falta de equipamento, não podendo manter o vínculo com a escola durante todo o período de isolamento social”. Esses fatores, somado a questões econômicas, contribuem para a evasão.

A deputada federal Maria Rosas (Republicanos-SP) destaca a importância do planejamento de volta à aulas, como forma de garantir o aprendizado dos estudantes e a saúde da população. “Como professora e membro da Comissão de Educação e da Primeira Infância da Câmara dos Deputados, considero que é preciso dialogar com a realidade do jovem na hora de sair do distanciamento social. É preciso acolhê-lo e interagir com as suas angústias e dificuldades concretas. Estamos vivendo uma situação que vai mudar toda a sociedade. Por isso, uma readequação no planejamento escolar e nas ações da rede pública de ensino, de modo integrado, pode ser uma aliada no desenvolvimento do país. O Guia Unicef tem esse foco, sendo portanto, uma iniciativa de grande valia”, destacou.

Reabertura com segurança

De acordo com o Unicef, além de encontrar as crianças que estão fora da escola, ou em risco de abandonar, é fundamental preparar as unidades para receber os estudantes em segurança, diminuindo os riscos de infecção pelo novo coronavírus.

Isso inclui adaptações no ambiente escolar que mantenham estudantes, famílias e profissionais de educação protegidos, como adaptações no transporte escolar, na ventilação das salas de aulas e no acesso à água e saneamento nas escolas, entre outros pontos.

Segundo a agência da ONU, há também que se investir em práticas pedagógicas e apoio psicossocial a educadores e profissionais para a retomada.

O guia é uma parceria do Unicef com a Undime, o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde.

Por Agência Republicana de Comunicação – ARCO, com informações da Agência Brasil
Foto: Divulgação/Gov-AM

 

Reportar Erro