Fake News nas Eleições 2020: saiba como combater a desinformação

A divulgação de fake news nas eleições é crime. Saiba como criar uma estratégia contra as notícias falsas na campanha eleitoral

Publicado em 04/09/2020 - 15:46

Brasília (DF) – O combate às fake news nas eleições deste ano será uma das principais tarefas nas disputas eleitorais. Por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a necessidade de medidas de distanciamento social, o digital será o meio bastante utilizado nas campanhas. Neste ponto, é onde entra a necessidade de conhecer bem as regras eleitorais e medidas de como combater as notícias falsas (Fake News). 

Na avaliação do deputado federal Márcio Marinho (BA), que é vice-presidente nacional do Republicanos e presidente estadual do partido na Bahia, “as notícias falsas afetam o cenário político, enfraquece as relações e cria ruídos de informações entre o candidato e o eleitor, prejudicando assim o processo eleitoral “, frisou

Marinho orienta que “é preciso analisar todo conteúdo divulgado nas redes sociais, verificar a origem da notícia, a credibilidade da fonte, buscar a comprovação da veracidade do fato em meios seguros e manter o cuidado com manchetes sensacionalistas”, destacou o republicano.

Mesmo antes da pandemia, o debate sobre o combate à desinformação tem sido feito tanto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quanto no Congresso Nacional. O tema ganhou ainda mais força com o adiamento das eleições para novembro e a necessidade de levar a disputa política para as redes sociais. 

O TSE editou novas resoluções e o Congresso Nacional aprovou, no ano passado, penas mais duras para divulgação de fake news com finalidade eleitoral. A pena para quem divulgar notícia falsa é de 2 a 8 anos. O texto foi incorporado na Lei 13.834/2019 e tem validade para as eleições deste ano.

O crime por divulgar fake news é caracterizado quando a pessoa compartilha informações falsas com objetivo eleitoral. Na prática, a punição é para quem espalha as notícias falsas com claro objetivo de destruir a imagem do adversário, sem nenhuma responsabilidade com a verdade dos fatos.

Como combater fake news

Márcio Marinho frisa que no caso de fake news, “é preciso agir com rapidez e esclarecer os fatos ao público, denunciar a rede de mentiras e exigir investigação rigorosa pela Justiça Eleitoral para punir os autores e os financiadores da desinformação”, destacou.

A principal medida contra a desinformação é a divulgação da verdade de forma rápida e efetiva, ou seja, fazer a informação verdadeira chegar até as pessoas. Para isso, os candidatos precisam criar grupos de mobilização nas redes sociais e, principalmente, no WhatsApp. 

A prática mais eficiente é a criação de listas de transmissão com o máximo de apoiadores possível, assim quando sair alguma fake news, você terá condição de esclarecer a verdade com agilidade. A fake news se alimenta da desinformação, então o remédio natural é contra-atacar com a verdade dos fatos.

Texto e foto: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro