Eleições 2020: saiba o que é identificação híbrida

Eleições 2020: saiba o que é identificação híbrida

Procedimento consiste em o eleitor apresentar um documento de identificação oficial com foto para votar

Publicado em 13/07/2020 - 14:43

Brasília (DF) – As eleições deste ano, que devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), serão realizadas nos dias 15 e 29 de novembro, primeiro e segundo turnos respectivamente, os eleitores terão a opção de votar pela identificação biométrica e híbrida.

A identificação biométrica consiste no reconhecimento das impressões digitais dos eleitores, previamente cadastrados no sistema de votação da Justiça Eleitoral. A medida impede que uma pessoa tente se passar por outra no momento da identificação em um pleito – já que não existem impressões digitais iguais – e faz parte do Programa de Identificação Biométrica do Eleitor brasileiro.

Já a identificação hibrida é o reconhecimento convencional, ou seja, o eleitor deve apresentar um documento de identificação oficial com foto para votar.

Antes da mudança de datas das eleições deste ano, 17 de junho era o último dia para os tribunais regionais eleitorais indicarem no Sistema ELO os municípios que terão eleições com identificação híbrida.

Portanto, os eleitores com dados biométricos coletados serão identificados pelas digitais, e os que não fizeram a biometria serão identificados da forma tradicional. A lista de cidades que terão identificação híbrida será oportunamente divulgada pela Corte Eleitoral.

Para votar, todo eleitor deve se apresentar na seção eleitoral portando documento original com foto e, se possível, título eleitoral. A etapa inicial, em que o mesário localiza o eleitor no caderno de votação, não muda, independentemente do tipo de identificação.

O eleitor que vota via processo biométrico pode escolher no dia do pleito se prefere levar apenas um documento de identificação com foto ou se prefere baixar o e-Título, aplicativo da Justiça Eleitoral disponível para download para aparelhos com sistema Android e IOS, que pode ser utilizado como documento para votação.

Por Agência Republicana de Comunicação – ARCO

 

Reportar Erro