Cristiane Britto defende pacto nacional para inserção das mulheres na política

Cristiane Britto defende pacto nacional para inserção das mulheres na política

Secretária nacional de Políticas para Mulheres de encontro com lideranças femininas de partidos políticos para iniciar o diálogo sobre a inserção das mulheres nas eleições de 2020

Publicado em 11/12/2019 - 00:00

Brasília (DF) – A secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto (Republicanos-DF), participou, na terça-feira (10), de reunião com lideranças femininas de partidos políticos para discutir a inserção das mulheres nas eleições de 2020.

Durante o encontro, realizado em Brasília, a secretária sugeriu a construção de um pacto nacional, bem como a realização de campanhas de incentivo à participação das mulheres na política.

A atividade faz parte do projeto “+ Mulheres no Poder”, que está sendo desenvolvido pela secretaria e deverá ser lançado ainda no primeiro semestre do ano que vem. Com microfone aberto, as representantes de 23 partidos e 6 parlamentares discutiram rapidamente questões como violência política, representatividade, formação de candidatas, conscientização, disponibilidade de recursos para mulheres e candidaturas fraudulentas.

A titular da pasta, Cristiane Britto, conduziu os diálogos destacando o compromisso do Governo Federal em promover ações para estimular a participação das mulheres na política, bem como a importância da escuta. “Hoje estamos aqui para ouvir todas vocês e para propor um pacto nacional aos partidos, visando garantir que todas as Câmara Municipais possam contar com ao menos uma mulher”, ressaltou a secretária na abertura da reunião.

Também participaram do encontro as deputadas federais Professora Dorinha Seabra, Soraya Santos, Adriana Ventura e Patrícia Ferraz.

Representatividade

O Brasil ocupa a 152ª posição no ranking mundial de representação feminina na política. Nas eleições de 2018, as mulheres representaram apenas 31% das candidaturas, no limite mínimo que estabelece a legislação. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indicam que 1.290 municípios não contam com vereadoras eleitas e, quando observadas as prefeituras, a situação não é diferente. O número de mulheres eleitas prefeitas em 2016 corresponde a apenas 12%.

Texto e foto: Ascom – MMFDH
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

 

Reportar Erro