Covid-19 no Brasil: 3 milhões de casos e 105 mil mortes

As recomendações de prevenção ao novo coronavírus devem ser intensificadas como forma de frear a contaminação

Publicado em 14/08/2020 - 13:10

Brasília (DF) – De acordo com os dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quinta-feira (13), O Brasil tem 3.224.876 de casos confirmados do novo coronavirus (Covid-19) e 105.463 mortes registradas. Os casos recuperados somam 2.356.640.

O país, que é a segunda nação com os maiores números da doença, tem quase todo o território tomado pela Covid-19. Somente 85 municípios ainda não registraram nenhum caso da doença. Enquanto 98,5% das cidades do Brasil têm pelo menos uma infecção confirmada, 68% dos municípios já confirmaram óbitos de Covid-19.

O perfil geral dos que morreram pela covid-19 no Brasil segue o padrão observado em outras partes do mundo. Mais da metade dos infectados que faleceram no país são homens e idosos, segundo os dados do Ministério da Saúde, que levam em conta apenas os casos hospitalizados. O peso da doença não é equitativo entre as faixas etárias, mas não se pode dizer que a Covid-19 mata apenas pessoas mais velhas. Uma em cada nove pessoas que faleceram no país tinha menos de 45 anos de idade.

O Brasil ultrapassou a trágica marca de 100 mil mortes por Covid-19 no dia 8 de agosto e continua como o segundo país do mundo com maior número de casos e mortes na pandemia do novo coronavírus, depois apenas dos Estados Unidos, que tem mais de 5,1 milhões de casos e 164,5 mil mortes pela Covid-19, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Pandemia

O primeiro registro do coronavírus no Brasil foi em 26 de fevereiro. Um empresário de 61 anos, que mora em São Paulo (SP), foi infectado após retornar de uma viagem, entre 9 e 21 de fevereiro, à região italiana da Lombardia, a mais afetada do país europeu que tem mais casos fora da China.

O novo coronavírus, que teve seus primeiros casos confirmados vindos da China no final de 2019, é tratado como pandemia pela OMS desde 11 de março.

As taxas de mortalidade pelo coronavírus têm variado consideravelmente de país para país, também segundo a Johns Hopkins. Enquanto locais como Bélgica, Reino Unido e Itália têm entre 14% e 16% de mortos entre os infectados, essa taxa tem sido de cerca de 6% em países como EUA e Brasil.

Estudos apontam que a grande maioria dos casos do novo coronavírus apresenta sintomas leves e pode ser tratado nos postos de saúde ou em casa. Mas, entre aqueles que são hospitalizados, o tempo de internação gira em torno de três semanas, o que gera um impacto sobre os sistemas de saúde, de acordo com a pasta, já que os leitos de unidades de tratamento intensivo (UTI) ficam ocupados por um longo tempo, gerando uma crise de escassez de leitos em diversos estados e municípios brasileiros.

Prevenção

As recomendações de prevenção ao novo coronavírus, como lavar as mãos constantemente, o uso de álcool em gel, máscaras e distanciamento social, não devem ser deixadas de lado, mas sim intensificadas como forma de frear a contaminação.

Por Agência Republicana de Comunicação – ARCO
Foto: Marcelo Seabra / Ag. Pará / Fotos Públicas

Reportar Erro