Cristiane Britto apresenta ações de combate à violência doméstica durante pandemia

Casa da Mulher Brasileira chegará a dezenas de municípios

Para a secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto, novos espaços vão garantir condições para o enfrentamento à violência e a autonomia econômica da mulher

Publicado em 27/01/2020 - 00:00

Brasília (DF) – O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) implantará a Casa da Mulher Brasileira em 25 municípios em 2020.  O espaço é um local destinado ao acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência.

O objetivo da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM) é facilitar o acesso aos serviços especializados de atendimento, garantindo condições para o enfrentamento à violência vivenciada, o empoderamento e a autonomia econômica da mulher.

Já foram confirmadas implementações do projeto em alguns municípios: Manaus/AM, Belo Horizonte/MG, Aracaju/SE, Cuiabá/MT, Macapá/AP, Brasília/DF, Vila Velha/ES, Cariacica/ES, Tefé/AM, Volta Redonda/RJ, Cruzeiro do Sul/AC e Uberlândia/MG.

Mas esse não é a única política da pasta em defesa das mulheres. Com cada vez mais visibilidade, os projetos, as campanhas e as ações iniciadas no ano passado serão continuados e fortalecidos, além das novas políticas e programas que serão lançados.

Ainda em 2019, a SNPM desenvolveu diversas atividades em decorrência da campanha de 16 Dias de Ativismo. Entre outros encaminhamentos, as ações tiveram a intenção de coletar subsídios para o desenvolvimento de um plano emergencial de combate ao feminicídio, que deve ser lançado em março de 2020.

A secretária nacional de políticas para mulheres, Cristiane Britto (Republicanos), falou sobre as projeções para este ano. “Iniciamos 2020 com novos projetos. A perspectiva é realizar muitas entregas para a sociedade. Entre os desafios destacamos combate ao feminicídio e a inserção das mulheres na política nas eleições municipais”, ressaltou.

Mais Mulheres na Política

Em 2020, o MMFDH ainda quer incentivar uma maior participação das mulheres na política. Pesquisas revelam que o número de mulheres em cargos políticos é bastante inferior ao número de homens que ocupam essas posições.

Um exemplo das últimas eleições para o Senado Federal, por exemplo, é que 20 estados brasileiros não têm representação feminina no Congresso Nacional. Três deles nem apresentaram candidatas. A meta do Ministério para iniciar esse projeto é que haja, pelo menos, uma mulher eleita em cada câmara municipal.

Texto e foto: Ascom – MMFDH
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

 

Reportar Erro