Turismo cearense em 2013: Alegrias e dissabores

Artigo escrito por Gelson Ferraz, vereador pelo PRB Fortaleza (CE)

Publicado em 04/02/2013 - 00:00

O período mais esperado pela indústria do turismo está a todo vapor, em Fortaleza. As férias, a cada ano, registram aumento no fluxo de visitantes em nossa terra e também nos presenteiam com boas notícias. Uma das mais recentes é a conexão Roma-Fortaleza, no voo feito pela Alitalia, com capacidade para 300 passageiros aterrissando no Aeroporto Internacional Pinto Martins as segundas e sextas-feiras. O mundo que ainda não conhece a exuberância de nossas praias, a qualidade de nossos equipamentos e o calor de nosso povo e de nosso clima, anseia por isso. Este voo regular cria uma nova ponte entre a Europa e o Ceará. Ponto para nossa gente, nosso trade turístico e nosso governo: mais visitantes significam também mais empregos, lucros e impostos. Além disso, Fortaleza passa a ser uma porta aberta para o crescimento do turismo em todo Nordeste, já que a companhia italiana só mantinha conexões nos estados do Rio e São Paulo. Portanto, que venham – para um turismo saudável! – também os africanos, os orientais e os asiáticos.

Concomitante as celebrações pela ampliação de nosso turismo ganhou destaque em nossa imprensa e redes sociais o quanto ainda temos que avançar para tornar Fortaleza e todo Ceará uma referência para o Brasil e o resto do mundo. Nesta semana uma imensa mancha escura atraiu os olhares de quem passava pelo movimentado calçadão e areias da Beira Mar, mais precisamente na praia do Náutico. O rastro, percebido com a maré baixa, sai de uma das galerias pluviais e segue em direção ao mar onde banhistas costumam estar. Ou costumavam. Uma triste realidade de uma cidade que não se preparou para ser o que já é. Mesmo diante de tantos problemas estruturais somos a terceira cidade mais visitada. Poderia falar do Instituto de Planejamento de Fortaleza, que lutei na Câmara para ser recriado e assim ir minimizando os problemas de um crescimento desordenado. Poderia falar do que já foi muito propagado por meio de denúncias a respeito das ligações clandestinas e criminosas de esgotos residenciais que existem entre os ricos prédios da Beira Mar e as galerias que deveriam apenas receber as águas das chuvas. Mas, prefiro apenas me ater aos dissabores de ainda ver imagens como a da praia do Náutico e das 31 praias impróprias para os banhistas (cearenses ou não), os mesmo que acabam escolhendo Fortaleza e o Ceará como locais de descanso para si e suas famílias.

*Gelson Ferraz é vereador pelo PRB e presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda, da Câmara Municipal de Fortaleza

Reportar Erro