Projeto sobre intermediação de mão de obra feminina é aprovado em Salvador

Projeto sobre intermediação de mão de obra feminina é aprovado em Salvador

Proposta da vereadora Ireuda Silva tem como objetivo inserir mais mulheres no mercado de trabalho na capital soteropolitana

Publicado em 18/12/2019 - 00:00

Salvador (BA) – Por unanimidade, a Câmara Municipal de Salvador aprovou, na terça-feira (17), projeto de indicação da vereadora Ireuda Silva (Republicanos) que sugere ao prefeito ACM Neto a criação do Serviço Municipal de Intermediação de Mão de Obra da Mulher Soteropolitana (SIMM Mulher).

Um dos principais objetivos da proposta é inserir mais mulheres no mercado de trabalho, ajudando a movimentar e a dinamizar a economia de Salvador, que ainda conserva altos índices de desemprego.

Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, Ireuda lembra que as mulheres constituem uma parcela vulnerável da sociedade no quesito emprego. Vítimas do machismo, são muitas vezes preteridas em seleções e ganham menos que os homens, mesmo quando possuem qualificação igual ou superior.

 “Buscar diariamente políticas que corrijam essas distorções é um desafio e um dever de todos que ocupamos funções representativas. Penso que esse projeto também pode beneficiar muito as mulheres negras, que são maioria em nossa cidade e, além de tudo, sofrem com o racismo e a exclusão”, disse a republicana.

De acordo com o projeto, a vulnerabilidade das mulheres negras ao desemprego é 50% maior. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que a cada 1 ponto percentual a mais na taxa de desemprego, as mulheres negras sofrem, em média, aumento de 1,5 ponto percentual.

Por outro lado, elas têm mostrado um grande potencial para contornar as dificuldades: na última década, o volume de mulheres à frente dos pequenos negócios cresceu 18%, enquanto que o dos homens teve um aumento de apenas 8%, de acordo com pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Texto e foto: Ascom – vereadora Ireuda Silva
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro