“Não sou prefeito de gabinete”, diz republicano Alex do Japão

Em entrevista, prefeito de Heliodora (MG) afirma estar na prefeitura para atender bem à população e garantir a aplicação correta do dinheiro público

Publicado em 04/09/2017 - 00:00

O republicano Alex Leopoldino de Lima, conhecido como Alex do Japão (PRB), tem conseguido fazer uma gestão com foco na economia do dinheiro público, na organização dos serviços públicos municipais e na moralização da gestão em Heliodora, município localizado na região Sul de Minas Gerais, com cerca de 6,5 mil habitantes, com a maioria da população vivendo na zona rural.

Empresário do setor de construção civil, Alex deu um novo ritmo na administração municipal. Uma das primeiras ações dele foi cortar gastos e revisar todos os contratos da prefeitura. Com isso, foi possível contratar novos médicos, melhorar a Educação e investir na limpeza da cidade.

O republicano foi eleito com 75% dos votos válidos e o PRB conseguiu eleger 5 dos 9 vereadores que compõem a câmara municipal. Inclusive, o presidente do Legislativo também é do PRB.

ENTREVISTA

Agência PRB Nacional – Prefeito, como tem sido administrar o município de Heliodora?
Alex do Japão – Temos enfrentado muitas dificuldades com a falta de recursos para tudo que temos no planejamento, mas estamos avançando e já conseguimos dar um novo ritmo na administração municipal. Falta investimento do governo federal, o estado é omisso com relação às demandas e obrigações com o nosso município. Depois disso, tem o desafio de fazer mais com menos, é onde entra a gestão, a economia do dinheiro público. Quando assumi a prefeitura percebi que muita coisa estava errada, gastava-se muito dinheiro de forma desnecessária. Posso relatar para você que ser prefeito é colecionar inimigos. Às vezes, eu tenho que falar não para a pessoa, e ela não entende que a gente não tem condição de atender tudo.

 

“Não sou prefeito de gabinete”, diz Alex do Japão de Heliodora (MG)Agência PRB Nacional – O que foi feito para garantir essa economia do dinheiro público?
Alex do Japão – A receita mensal gira em torno de R$ 1,2 milhão, somando mais ou menos R$ 13 milhões por ano. Graças ao nosso empenho, conseguimos reduzir a folha de pagamento e cortamos muitos gastos com contratos. Tinha setor com dois ou três funcionários e quem não era concursado, nós demitimos. Acabamos com as horas extras indevidas, que eram usadas para complementar salários. Organizamos o transporte de pacientes e com isso diminuímos a despesa com combustível sem prejudicar o serviço. Revisamos e rescindimos vários contratos que não eram vantajosos para o município. Na merenda escolar e na compra de material de limpeza, antes se fazia licitação e comprava R$ 200 mil em produtos para deixar o material em estoque. Agora nós fizemos um registro de preço, o que usa no mês a gente paga, então não precisa fazer o desembolso imediato de um valor tão alto. A gente paga agora R$ 4 mil a R$ 5 mil por mês, só com o que utilizamos no mês, dessa forma eu consigo tocar o município. Paguei a primeira parcela do 13º para todos os servidores municipais e estamos com todos os serviços essenciais garantidos, atendendo bem à população. Por exemplo, tinha uma empresa que prestava serviço na área da saúde no valor mensal de R$ 87 mil e nós conseguimos reduzir o contrato para R$ 72 mil. Pode parecer uma economia pequena, mas juntando todas os contratos que revisamos, a economia é grande. A economia foi feita no geral, economizamos com a revisão e rescisão de contratos, só com a folha de pagamento conseguimos uma economia de 35% do total que era gasto mensalmente.

 

Agência PRB Nacional – Quais foram as principais ações do seu governo nestes primeiros meses de gestão?
Alex do Japão – Fizemos melhorias relevantes na área da Saúde, geramos uma economia de 30% mensal, sendo 15% somente com o enxugamento da folha de pagamento. Conseguimos limpar e organizar a cidade com a revitalização de áreas que estavam abandonadas, é isso que nós estamos fazendo, cuidando das pessoas. Na Educação, não somente melhoramos a qualidade da merenda escolar como a infraestrutura das escolas. Além disso, temos o serviço de transporte gratuito de estudantes universitários para as cidades vizinhas e também adquirimos um ônibus novo para o transporte escolar municipal.

 

Agência PRB Nacional – O que foi feito no município para melhorar a saúde?
Alex do Japão – Nós ampliamos o número de médicos, conseguimos uma ambulância nova e organizamos o atendimento no hospital. Antes, as pessoas tinham de chegar 5h da manhã para pegar ficha e agora não tem mais isso. Quem chega no hospital é atendido na hora. O que posso dizer é que dinamizamos os serviços de saúde no município. Outra ação que não é exatamente na saúde, mas tem relação, foi que ativamos o CRAS, que não funcionava direito e agora presta um excelente serviço à população.

Mas deixa eu explicar como funciona nosso sistema de atendimento médico aqui. Eu adotei uma estratégia para economizar dinheiro público, com isso temos especialidades que atendem a cada 15 dias e tem médicos que atendem semanalmente, mas quando o estado é grave, já levamos para Pouso Alegre e lá interna. Estamos resolvendo o problema do atendimento médico, investindo o dinheiro da prefeitura de forma eficiente, buscando sempre economizar.

 

Agência PRB Nacional – O enxugamento dos gastos públicos é a marca do seu governo até aqui?
Alex do Japão – Com certeza, foi por esse esforço que conseguimos melhorar a saúde, educação, ampliar o apoio ao esporte e organizar a cidade. Só para você ter uma ideia, antes tinha aqui um pediatra, um clínico, um cardiologista e um ginecologista. Eram os médicos que atendiam em Heliodora. Mas no nosso governo a situação é bem diferente, hoje temos dois clínicos, dois pediatras, um ortopedista, um cardiologista, uma nutricionista, uma fonoaudióloga, uma psicóloga só para saúde e temos um endocrinologista, fora o plantão 24h que nós temos no hospital.

Tenho trabalhado muito para manter o município em ordem e administrar bem a prefeitura. A principal marca do meu governo é a gestão e o dinamismo. Eu acompanho todas as obras. Se as máquinas vão para roça arrumar estradas, eu vou junto para ver o serviço. Não sou prefeito de gabinete, meu gabinete é nas ruas com o povo, porta aberta para a população, atendendo todo mundo, não tem esse negócio de enrolar, se der para fazer tudo bem, mas se não dá eu digo na hora. Explico para o cidadão que não tem jeito. Nossa cidade não tem indústrias nem grandes empresas, é um município rural e as pessoas dependem muito dos serviços públicos municipais.

 

“Não sou prefeito de gabinete”, diz Alex do Japão de Heliodora (MG)Agência PRB Nacional – Tem recurso federal para ajudar a manter o funcionamento do hospital?
Alex do Japão – Não tem governo federal, não tem nada, tudo que tem lá é pago com dinheiro do próprio município. O hospital, infelizmente, não é credenciado ao SUS. A sorte é que quando eu entrei, reduzi a folha de pagamento pela metade, cortei salários altos, diminuí o número de secretarias. Para se ter uma ideia, quando entrei na prefeitura tinham nove secretários, reduzi para apenas quatro, sem contar os outros gastos que cortamos.

 

Agência PRB Nacional – Como encontrou a prefeitura quando assumiu o cargo?
Alex do Japão – Quando sentei na cadeira de prefeito, já fui recebido com uma dívida de R$ 2,3 milhões deixadas pela gestão anterior, mas graças ao nosso empenho, conseguimos pagar R$ 1,5 milhão e só falta cerca de R$ 600 mil de parcelamentos do INSS, Fundo de Pensão Municipal, multas e um empréstimo com um banco. Somente com fornecedores pagamos cerca de R$ 1,3 milhão.

 

Agência PRB Nacional – Quais são os seus projetos para esse mandato?
Alex do Japão – Estou tentando viabilizar a compra de um caminhão compactador de lixo e também estamos buscando recursos para construir uma pré-escola. Além disso, precisamos de um ginásio poliesportivo. Fora isso, estamos priorizando a pavimentação de ruas no município e lutando para fazer uma boa reforma na praça da cidade.

 

Agência PRB Nacional – E na Zona Rural, o que o senhor tem feito para ajudar o povo?
Alex do Japão – Nós temos recuperado as estradas para melhor escoamento da produção e também a locomoção das pessoas. Para ampliar a produção agrícola, oferecemos máquinas para arar a terra e fazer represas para guardar água para o gado. Nos casos de saúde, se tiver alguém doente, a prefeitura oferece carro para levar ao hospital e trazer para casa. Nós estamos trabalhando para que as pessoas da zona rural sejam bem atendidas.

 

Agência PRB Nacional – Existe alguma rotina nessas visitas que o senhor faz?
Alex do Japão – Eu passo de duas a três vezes por semana no escola, duas vezes na creche, vou no hospital quase que diariamente porque é caminho para a prefeitura. Ligo todo dia para saber se estão trabalhando direito, levanto cedo e faço umas visitas surpresas, sabe? E isso tem dado certo, consegui impor meu ritmo à administração. Hoje tem uma gestão eficiente e um governo dinâmico, já teve um caso de um paciente que foi para o hospital e não encontrou médico, eu passei lá e fiquei sabendo da história. Mandei buscar o paciente de carro e cobrei do médico o atendimento adequado. Muitas vezes temos que levar os pacientes para Pouso Alegre, que é nossa referência para casos de maior complexidade. Uma senhora passou mal aqui e mandamos para lá, mas não quiseram receber ela, então tive que sair de madrugada para garantir a internação do paciente e resolver o problema.

 

Agência PRB Nacional – Ser prefeito não deve ser um trabalho fácil.
Alex do Japão – Mas não é mesmo. É preciso ser firme, se não for assim a gente não consegue fazer nada. É aquele negócio: era um sonho, uma vontade e está dando certo. Mas fácil não é. Rapaz, em cidade do interior não tem protocolo na prefeitura, as pessoas procuram o prefeito onde ele estiver, na porta de casa, nas ruas e em todos os lugares.

 

Agência PRB Nacional – Por se tratar de um município pequeno, o que pode ser feito para melhorar a economia da cidade?
Alex do Japão – Estou correndo atrás para trazer emprego para cá, para dar ocupação pro meu povo, tenho uma demanda de 700 empregos e precisamos suprir isso. O município tem cerca de 6.500 habitantes e precisamos de emprego para fazer a economia girar. Tenho buscado parcerias com empresas na área de costura, de informática e outros setores, mas o atual momento que passa o país, o pessoal não quer investir.

 

Agência PRB Nacional – O que seu governo tem feito para ajudar os jovens?
“Não sou prefeito de gabinete”, diz Alex do Japão de Heliodora (MG)
Alex do Japão – Nós temos programas bem eficientes nessa área. O município mantém uma escolinha de futebol, criamos a Escola de Música da Fanfarra, temos projetos de Cultura, Arte e Teatro. O foco dos projetos tem sido oferecer mais oportunidades para os jovens. A juventude é bem assistida, assumimos a pasta do esporte com R$ 0,59 na conta e já temos 300 jovens praticando esporte na escolinha de futebol custeada pelo município, com aulas quatro dias na semana. Estamos apoiando 100% o esporte local, com incentivos e promoção de campeonatos e eventos esportivos de uma forma geral, estamos fazendo muita coisa boa na cidade. Além disso, melhoramos a educação do município, com merenda escolar de qualidade, transporte escolar funcionando direito e colocamos ônibus para levar os estudantes que fazem faculdade nas cidades vizinhas.

Por Agência PRB Nacional
Fotos: Ascom – Prefeitura de Heliodora (MG)

 

Reportar Erro