“Liderança deve ser conquistada e não imposta”, afirma Armando Motta

Armando Motta trabalha em defesa dos direitos da mulheres e com foco na construção de um sede própria para a Câmara Municipal

Publicado em 02/04/2018 - 00:00

Dedicado às causas sociais e defesa dos direitos das mulheres, Armando Motta dá exemplo não somente como presidente da Câmara Municipal de São Leopoldo (RS), mas como vereador comprometido com o bem da coletividade.

Há menos de três meses como presidente, Motta implementou uma política de economia de recursos com objetivo de construir a nova sede do Poder Legislativo Municipal. Além disso, criou a Procuradoria da Mulher para proteger as mulheres contra a violência doméstica.

Eleito pela primeira vez em 2000 e reeleito de forma consecutiva desde então, o republicano Armando Motta enxerga na política uma forma eficiente de ajudar as pessoas que mais precisam do Estado. Ele é daqueles vereadores que andam pelas ruas conversando com as pessoas, buscando ajudar as famílias para que tenham uma vida melhor.

Entrevista

Agência PRB Nacional – O que já foi possível fazer nesses quase três meses de mandato?
Armando Motta – Desde que assumi, adotei medidas para moralizar a Presidência da Casa. Umas das primeiras foi o corte de gastos com diárias e viagens dos parlamentares, por 90 dias. A iniciativa visa economizar recursos públicos e aplicar o dinheiro nas necessidades primárias do Legislativo. Onde a gente apurou que era possível racionalizar, fizemos sem causar prejuízos às atividades legislativas, é claro. Além disso, revisamos todos os contratos da Câmara Municipal e em todos eles conseguimos economizar.

 

Agência PRB Nacional – O que será feito com esses recursos economizados?
Armando Motta – Estamos trabalhando muito para assegurar a construção de uma nova da Câmara. Para isso, estamos buscando economizar o máximo neste primeiro semestre. Nosso plano é alugar um prédio mais novo e melhor por um período, adquirir um terreno e trabalhar na construção da sede própria do Poder Legislativo.

 

Agência PRB Nacional – O mandato é de dois anos?
Armando Motta – Termina em dezembro deste ano. Aqui em São Leopoldo, o mandato de presidente da Câmara é de um ano. O processo de escolha é democrático e todos temos o compromisso de dar continuidade aos projetos, previamente, acordados. No caso dessa construção da sede própria, quero deixar bem adiantado para que o próximo presidente possa concluir.

 

Agência PRB Nacional – Sua gestão está comprovando que é possível fazer política comprometida com o bem comum, não é verdade?
Armando Motta – Muitas pessoas falaram que todo político é desonesto, mas a história não é bem assim. Tenho o compromisso de usar o poder para trabalhar em benefício da comunidade. Na política existem dois caminhos, um que é com foco nas propostas que assumimos na campanha e aquele que vira as costas para o povo, pensando apenas pelo benefício próprio, deixando a população em segundo plano. Eu escolhi o primeiro porque minha prioridade é atender bem as pessoas e faz o melhor pela coletividade.

 

Agência PRB Nacional – Além da economia dos recursos, qual outro projeto da sua gestão gostaria de destacar?
Armando Motta – Infelizmente, ainda existe muito machismo e tenho atuado para proteger as mulheres desses comportamentos ruins dos homens que acham a mulher inferior e, por isso, a palavra final é sempre dele. Eu penso que essa não é uma atitude correta porque a liderança deve ser conquistada e não imposta. Inauguramos a Procuradoria da Mulher com objetivo de valorizar e proteger as mulheres da violência. Sou um admirador das habilidades femininas e uma delas me chama muito à atenção. Nós homens, só conseguimos nos concentrar numa atividade por vez, mas veja o comportamento de uma mulher: ela consegue fazer duas, três ou até mais tarefas com sabedoria.

 

Agência PRB Nacional – Qual a função da Procuradoria da Mulher?
Armando Motta – Nós instalamos a Procuradoria com um único objetivo, que é dar apoio e defender os direitos das mulheres vítimas de violência. Muitas são agredidas pelos companheiros e não têm coragem de denunciar, muitas vezes por vergonha de ir até a delegacia. Então, damos todo suporte para ouvir as mulheres que passam por essa situação. Ao chegar na Procuradoria, ela é atendida. Temos uma profissional que oferece todas as orientações para o encaminhamento da denúncia com objetivo de impedir novas agressões e proteger as mulheres.

 

Agência PRB Nacional – Nesses quase 20 dias de funcionamento, como tem sido a procura pelos serviços?
Armando Motta – Sim, muita gente tem buscando apoio na Câmara. Só para você ter uma ideia da importância desse trabalho, que passamos a prestar no dia 9 de março deste ano, já são quase 70 atendimentos realizados nesses quase 20 dias de funcionamento.

 

Agência PRB Nacional – O senhor apresentou um projeto que cria a rede de colaboração em São Leopoldo?
Armando Motta – Criamos um banco de dados de materiais ortopédicos e outros produtos para tratamento de saúde sem uso. Eu faço muito trabalho social na cidade e percebi que tinham muitas pessoas precisando de uma cadeira de rodas, cama de hospital e até mesmo uma simples bota ortopédica e não tinham como comprar. Ao mesmo tempo, minha equipe de gabinete e eu tivemos a iniciativa de criar um banco de dados de produtos doados. Funciona assim, a gente recebe essas doações e entregamos para quem precisa. A pessoa que recebe tem a responsabilidade de cuidar bem do material e depois passar para outra ou até mesmo devolver para o programa. A Prefeitura abraçou o projeto e cedeu um espaço da Secretaria de Educação para receber e armazenar essas doações.

 

Agência PRB Nacional – Esses cinco mandatos foram seguidos, um atrás do outro?
Armando Motta – Sim, eu fui candidato pela primeira vez em 2000 e fui eleito. Antes de entrar na política, eu trabalhava como torneiro mecânico há mais de 15 anos numa grande empresa da região.

 

Agência PRB Nacional – Qual foi o motivo principal para o senhor entrar para a política?
Armando Motta – Eu fui convidado por um amigo que viu em mim o perfil de um bom vereador. De início eu achei aquele convite sem sentido porque eu não gostava de política de jeito nenhum e, por isso, não levei muito a sério. Mas a coisa foi ganhando corpo e logo apareceram quatro partidos me oferecendo espaço para a candidatura. O fato é que, no final das contas, fui praticamente empurrado para a política e desde então tenho buscado fazer o bem para as pessoas, peguei gosto pela coisa. De lá para cá, são cinco mandatos consecutivos desde a primeira eleição em 2000.

 

Agência PRB Nacional – Que mensagem o senhor deseja deixar para a população?
Armando Motta – Para os republicanos eu quero dizer que quase totalidade dos municípios estão passando por dificuldades financeiras e aqui em São Leopoldo não é diferente. Por isso, penso que o pouco que temos precisamos administrar da melhor forma possível. Não cabe mais o gastador sem limite, isso é coisa de gente irresponsável. Temos que fazer a nossa parte e cuidar bem do dinheiro do povo. Agora, para a população de uma maneira em geral, quero dizer que continuo servindo a todos com a mesma atenção de antes, não é o mandato de presidente que vai tirar isso de mim. Ao longo da vida, eu construí uma rede de amizades e as pessoas veem na gente um apoio muito grande, elas procuram a gente direto no gabinete. Podem ter certeza que em São Leopoldo, tem vereadores que trabalham pelo bem do povo, e eu estou entre eles, com muita alegria e buscando fazer sempre o melhor trabalho na política.

Por Agência PRB Nacional

 

Reportar Erro