Ireuda Silva repudia ato de intolerância religiosa em Salvador

Na semana passada, dois templos religiosos foram pichados com frases sobre intolerância religiosa e combate ao racismo por manifestantes

Publicado em 28/06/2019 - 00:00

Salvador (BA) – A vereadora Ireuda Silva (PRB) repudiou o episódio de intolerância religiosa contra dois templos evangélicos no bairro do Lobato, em Salvador. Na semana passada, os prédios foram pichados com frases sobre intolerância religiosa e combate ao racismo por manifestantes.

“Nosso mandato e minha história mostram que combati arduamente o racismo durante toda a minha vida. Também luto contra a intolerância religiosa dentro e fora da Câmara de Vereadores. Mas me parece muito contraditório que esses supostos militantes queiram combater intolerância com intolerância. Ódio com ódio. Não endentem que a paz não se conquista com violência”, disse a republicana.

Ireuda também repudiou a tentativa de intimidação contra a recepcionista Gláucia da Silva Teixeira, que é membro da instituição. “Ela foi perseguida no ônibus e constrangida, apenas por exercer o direito de expressar sua liberdade de crença. Isso é absurdo e inadmissível”, acrescentou.

A republicana é autora de um projeto de indicação ao governador da Bahia, Rui Costa, para criar uma Delegacia Especializada no Combate a Crimes Raciais e aos Delitos de Intolerância Religiosa. A ideia é cuidar não apenas de casos de racismo, mas de atos discriminatórios contra pessoas ligadas a toda e qualquer religião. “Todas as religiões e crenças sofrem discriminação no Brasil e precisam ser respeitadas. A liberdade religiosa é um direito que nos é garantido pela Constituição Federal, que também assegura o livre pensamento. Mas a liberdade de expressão não pode ser confundida com ofensa ou permissão para agredir o outro”, argumentou Ireuda.

Texto e foto: Ascom – vereadora Ireuda Silva

Reportar Erro