Escolas de Curitiba iniciam Semana da Internet Segura

Escolas de Curitiba iniciam Semana da Internet Segura

Iniciativa do vereador Osias Moraes tem como objetivo alertar e orientar pais, professores e alunos no uso seguro da internet

Publicado em 25/10/2019 - 00:00

Curitiba (PR) – O projeto Semana da Internet Segura, criado por iniciativa do vereador Osias Moraes (Republicanos), teve início no dia 14 de outubro na rede municipal de ensino de Curitiba.

A abertura contou com a presença dos professores da rede municipal de ensino, que tiveram a oportunidade de assistir a palestra “Crianças na Internet: uma discussão necessária” e participar de workshops sobre os desafios dos educadores e o papel das escolas na proteção da criança na era digital, ministrados por Estela Endlich (Coordenadora de Tecnologia e Inovação), Professora Maria Cristina e Roseane Bernadet (Instituto de Tecnologia de Curitiba).

“A lei prevê que o projeto faça parte do calendário escolar anual e que seja aplicado em todas as escolas municipais, orientando os alunos através de atividades educativas de como aproveitar a Internet de forma segura e se prevenir dos perigos que nela possam surgir”, explica Osias de Moraes.

A Internet tem se destacado por ser a tecnologia mais utilizada nos últimos tempos. Com seu surgimento na década de 60, no auge da Guerra Fria, tinha a função facilitar a comunicação entre militares e cientistas que administravam os laboratórios de pesquisa na época. De lá para cá, o acesso à rede se expandiu para toda a população, trazendo praticidade e agilidade e oportunidades de lazer como vantagem. Porém como pontos negativos, a mesma se destaca pelos riscos de exposição e divulgação de notícias falsas.

De acordo com o relatório divulgado pelas companhias de serviços on-line Hootsuite e We Are Social, atualmente mais de 4 bilhões de pessoas (53% da população mundial) estão conectadas à rede. Só no Brasil são cerca de 116 milhões de usuários (aponta o IBGE) e entre eles 24,3 milhões são crianças e adolescentes. Além de ser o público mais conectado é também o que mais corre perigo de cair em armadilhas criadas por outros usuários.

Texto e fotos: Ascom – vereador Osias Moraes 
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro