Crivella entrega seis carros para conselhos tutelares

Veículos vão levar mais eficiência e agilidade no atendimento das demandas, bem como contribuirão para que os conselheiros trabalhem na defesa de direitos dos menores

Publicado em 01/10/2019 - 00:00

Rio de Janeiro (RJ) – O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) entregou, nesta segunda-feira (30), seis novos carros para os conselhos tutelares do município. Os veículos vão levar mais eficiência e agilidade no atendimento das demandas, bem como contribuirão para que os conselheiros trabalhem na defesa de direitos das crianças e adolescentes.

Crivella entrega seis carros para conselhos tutelares“O Conselho Tutelar faz uma obra extraordinária no Rio. Tem muita violência na cidade, e nossas crianças e adolescentes precisam muito desse apoio. Esses carros novos vão prestar um grande auxílio aos conselheiros”, afirmou Crivella, em solenidade realizada no estacionamento do Centro Administrativo São Sebastião (Cass), sede administrativa da Prefeitura do Rio.

A verba para a compra dos automóveis, destinada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, veio de uma emenda parlamentar proposta pelos deputados federais Rosangela Gomes (Republicanos-RJ) e Alessandro Molon e pelo ex-senador Eduardo Lopes (Republicanos-RJ). Os carros irão para os conselhos tutelares da Rocinha, Inhaúma, Guaratiba, Barra da Tijuca, Realengo e Taquara.

No próximo domingo, dia 6 de outubro, haverá a eleição dos próximos conselheiros tutelares, para o mandato 2020/23. Antes, os candidatos passaram pelas fases de análise documental e prova de aferição de conhecimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Nesta etapa, concorrem 468 pessoas, divididas em 19 Conselhos Tutelares. Ao todo, serão eleitos por voto popular 190 conselheiros, sendo 95 titulares e 95 suplentes. A relação das escolas que serão postos de votação está disponível no site www.cmdcario.com.br.

Os conselhos tutelares desenvolvem importante trabalho de defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Entre as atribuições inerentes à função estão: aplicar medidas protetivas em casos de ameaça ou violação de direitos; assessorar o Poder Executivo local na elaboração de proposta orçamentária para planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente; e representar, em nome da pessoa e da família, contra a violação dos direitos previstos na Constituição Federal.

Texto e fotos: Ascom – Prefeitura do Rio de Janeiro

Reportar Erro