Crivella entrega 120 apartamentos do programa Favela Bairro

Apartamentos estão localizadas no Parque Furquim Mendes e no Bairro Proletário do Dique, ambos no Jardim América, Zona Norte do Rio de Janeiro

Publicado em 30/07/2019 - 00:00

Rio de Janeiro (RJ) – O prefeito Marcelo Crivella (PRB) entregou nesta segunda-feira (29), 120 unidades habitacionais destinadas ao reassentamento de famílias que viviam em áreas de intervenção do programa Favela Bairro no Parque Furquim Mendes e no Bairro Proletário do Dique, ambos no Jardim América, Zona Norte. Os imóveis, que vão beneficiar cerca de 500 pessoas, têm sala, dois quartos, cozinha, banheiro e área de serviço conjugada, com 42 metros quadrados no total cada um. O Favela Bairro é um programa de urbanização de comunidades carentes. Ao todo, quase 100 mil pessoas deverão ser beneficiadas.

“Essa área aqui era de lixo, abandonada. As pessoas moravam na beira de um valão. Agora vão viver em moradias com dignidade, em habitações descentes, que valem entre R$ 120 mil e R$ 150 mil”, afirmou Crivella.

Os apartamentos estão distribuídos num condomínio de seis blocos, com cinco andares e quatro unidades por pavimento. Karla Aparecida Vieira de Oliveira, de 38 anos, que morava com os filhos, Yuri, de 20; Ariane, 16; Sara, 14; e Safira, 7, na beira do Canal de Furquim Mendes, foi a primeira a receber as chaves. “Saímos do inferno, de um pesadelo, para a vida real”, resumiu Karla.

Maria da Penha da Silva, de 52 anos, também morava às margens do valão com quatro filhos, de 15 a 28 anos. Ela conta que chegou a ser mordida por um rato na antiga moradia. “Vivíamos como animais, em meio a ratos, baratas, enchentes. Agora vamos morar num palácio”, comparou.

Urbanização e mão de obra da comunidade

O secretário municipal de Infraestrutura e Habitação (SMIH), Sebastião Bruno, ressaltou que as unidades localizadas no térreo do condomínio foram reservadas para pessoas com deficiência. O coordenador de Intervenções de Urbanização Integrada da SMIH, João Audir Martins Brito, lembrou que as obras foram executadas em 34 etapas e empregaram, no pico dos serviços, 250 operários. E informou que 90% da mão de obra foi dos moradores da própria comunidade, o que contribuiu para gerar empregos no local. Toda a área no entorno do novo conjunto habitacional foi urbanizada.

“Nas vias no entorno foram feitas obras de drenagem e pavimentação, calçamento, área de lazer, iluminação pública e arborização”, disse Sebastião Bruno.

O próximo empreendimento do programa a ser inaugurado será o do Morro da Baiana, no Complexo do Alemão, também na Zona Norte. Na região estão em andamento obras de urbanização.

Mais sobre o Favela Bairro

As obras do Favela Bairro na região estão beneficiando mais de 11 mil moradores com a construção de 18 km de redes de abastecimentos de água; 28 km de redes de esgotamento sanitário; 8 km de redes drenagem; 10.800 m2 de pavimentação de vias e ruelas; 2.278m de ciclovia; 580m de canalização do Rio Cambuí; implantação do Centro Esportivo Gigantão, com área de 5.640 m2; reforço na iluminação; construção de praças com quadras poliesportivas; e 120 unidades habitacionais para reassentamento.

O Favela Bairro é coordenado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação e desenvolvido em parceria com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento. Na atual gestão, 21 comunidades nas Zonas Norte e Oeste passaram ou estão passando por obras de transformação, levando mais qualidade de vida a quase cem mil moradores de áreas carentes.

Habitações populares

A Prefeitura do Rio desenvolve também, em parceria com o governo federal, o programa Minha Casa Minha Vida. A atual gestão já entregou, desde 2017, 4,2 mil unidades de habitação popular. Outras 600 estão em fase de conclusão para também beneficiar moradores de áreas carentes e baixa renda.

Texto: Ascom – Prefeitura do Rio de Janeiro
Fotos: Marcos de Paula

Reportar Erro