Crivella apresenta balanço de ações que reduziram impacto do temporal no Rio

Cidade mostrou estar preparada, e o pior já passou, destaca o prefeito. Até o fim da manhã foram 57 ocorrências envolvendo bolsões d’água e árvores

Publicado em 13/02/2019 - 00:00

Rio de Janeiro (RJ) – O prefeito Marcelo Crivella (PRB) apresentou nesta quarta-feira (13), um balanço das ações que ajudaram a reduzir o impacto da chuva que atingiu a cidade na madrugada e durante a manhã. Crivella destacou que a Prefeitura mostrou estar preparada e considerou positiva a estratégia de prevenção adotada para mitigar os efeitos do temporal.

“Eu quero agradecer à população do Rio de Janeiro, que colaborou conosco. Não tivemos os engarrafamentos de sempre, os professores hoje estão fazendo apenas o planejamento das aulas, as crianças ficaram em casa. Foi muita chuva durante a madrugada e no início do dia”, afirmou Crivella. “O pior já passou, sem os acidentes que tivemos na noite de quarta-feira passada. Continuamos trabalhando muito no Vidigal, a nossa ideia é abrir a Avenida Niemeyer ainda esta semana. Continuamos fazendo obra também em Barra de Guaratiba. A Prefeitura está preparada para enfrentar o que tiver que enfrentar neste verão”, completou o prefeito.

A estratégia de alertar a população sobre a chegada da frente fria e do temporal deu certo. A decisão de suspender as aulas nas escolas municipais e a escalação de 10 mil homens da Guarda Municipal, CET-Rio, Comlurb, Conservação e outros órgãos da Prefeitura, para agir nas ruas, ajudaram a reduzir os efeitos da chuva e a orientar o trânsito. O secretário municipal da Casa Civil, Paulo Messina, explicou que não foi necessário o fechamento da Estrada Grajaú-Jacarepaguá e do Alto da Boa Vista, previsto no plano de ação da Prefeitura. O secretário municipal de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, informou que foi realizada uma ação coordenada dos vários órgãos municipais, com distribuição das equipes por pontos estratégicos para agilizar o atendimento à população.

Até o momento da apresentação do balanço, no fim da manhã desta quarta, tinham sido registradas 57 ocorrências devido à chuva na cidade. Destas, 37 eram relativas a bolsões d’água. Outros 20 eventos estavam relacionados a árvores, e somente seis ainda permaneciam em aberto.

A previsão do Alerta Rio, de chuvas de 80mm a 100mm/h, acabou se cumprindo: o volume ficou em torno do esperado. Desta vez, diferentemente da semana passada, a chuva caiu de maneira mais espalhada pela cidade, sem se concentrar tanto nas Zonas Oeste e Sul, bastante castigadas no temporal do dia 6. Nesta quarta, as regiões mais atingidas foram o Centro e a Zona Norte. Em São Cristóvão, choveu 86mm/h, e na Tijuca o índice pluviométrico foi de 84mm/h.

A chuva mais espalhada é característica de frentes frias, como a que chegou ao Rio, explicou a meteorologista do Alerta Rio, Juliana Hermsdorff. E ela é possível de prever com antecedência, ao contrário da outra, do dia 6, uma típica chuva de verão, que se forma de repente, com grande intensidade. A previsão é de que haja ainda chuva moderada na tarde desta quarta, com redução no início da noite. Para quinta, a previsão é de chuva mais amena (entre fraca e moderada). Na sexta poderá haver novas pancadas de chuva, desta vez um pouco mais fortes em alguns pontos, devido à formação de um sistema de baixa pressão no oceano. A previsão para o fim de semana ainda poderá ser atualizada, mas até domingo o céu ainda deverá permanecer nublado.

Texto e foto: Ascom – Prefeitura do Rio de Janeiro 

Reportar Erro