Cerca de mil jovens serão beneficiados pelo programa Jovem Aprendiz no RJ

Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB) participou da solenidade de assinatura do Termo de Ajuste do Programa Jovem Aprendiz/Comlurb

Publicado em 24/06/2019 - 00:00

Rio de Janeiro (RJ) – O prefeito Marcelo Crivella (PRB) participou, na quarta-feira (19), no Palácio da Cidade, da solenidade de assinatura do Termo de Ajuste do Programa Jovem Aprendiz/Comlurb. O programa visa garantir o cumprimento da Lei Federal n° 10.097/2000, do Decreto Federal n° 5.598/2005 e de regulamentações específicas que exigem da companhia, na condição de empregadora, a contratação de aprendizes em quantitativo mínimo de 5% do total de empregados. Ao todo, cerca de 1.000 jovens serão beneficiados, a maioria em situação de vulnerabilidade e risco social.

Ao se dirigir ao grupo de jovens convidados para a solenidade, Crivella pediu dedicação e empenho a eles. “Sejam ótimos funcionários. Porque depois, se tudo der certo, teremos bons argumentos para levá-los para outros setores da prefeitura, autarquias empresas. O programa é elogiado, evita que jovens fiquem sujeitos a tentações e armadilhas”, justificou o prefeito.

O programa capacita e qualifica jovens para o mercado de trabalho por meio de formação técnico-profissional, gerando um meio de renda e oportunidade de inserção dos jovens no mercado de trabalho, agregando valor à sociedade. É um programa que muda a vida de pessoas e famílias, construindo um futuro melhor para toda sociedade através da educação/especialização.

A Comlurb pretende ampliar o número de jovens aprendizes e apresentar um cronograma de atendimento e cumprimento à lei. Participaram do evento o presidente da Comlurb, Tarquinio Almeida, e diretores da companhia, o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes, e membros do Tribunal de Justiça, da Secretaria Municipal de Fazenda e do Ministério Público do Trabalho. Dez jovens aprendizes da Comlurb estavam na cerimônia.

O desembargador Marco Aurélio Bezerra de Melo, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, reconheceu que o Poder Judiciário, no passado, só atuava como “ente repressor” junto aos jovens, aplicando medidas sócio- educativas.

“Hoje, estamos em festa com esse evento. Através da Comissão de Articulação de Programas do TJ, estamos tentando encontrar o caminho correto para os adolescentes. E o caminho correto é esse, da Educação, da qualificação e do trabalho”, disse o desembargador.

Para Tarquínio, a responsabilidade e compromisso da Comlurb em relação ao programa vêm sendo cumprido com esmero: “Nos sentimos orgulhosos. O prefeito sofre com o ócio de jovens. O ócio lhe causa angústia. Por isso temos dado rapidez e dinamismo ao Jovem Aprendiz”, assegurou.

O auditor fiscal do Trabalho, da Superintendência Regional do Trabalho do Río de Janeiro, Rogério Santos, elogiou a disposição do governo Marcelo Crivella em cumprir a parceria com a Justiça. “Na gestão de Marcelo Crivella, finalmente conseguimos fazer com que o projeto se concretizasse, especialmente com o cumprimento do sistema de cotas, sobretudo, em prol de quase 1.000 jovens”, comentou Rogério, destacando também a atuação do secretário João Mendes no processo.

Milena Rodrigues, de 20 anos, uma das jovens aprendizes, disse que o programa já está mudando radicalmente sua vida. “Passei a não depender mais totalmente dos meus pais, nem financeiramente. Estou amadurecendo como pessoa”, disse.

Pedro Santos Moura, de 19 anos, por sua vez, explicou que o Jovem Aprendiz o faz sentir incluso na sociedade. “Me sinto útil e um cidadão de verdade”, resumiu.

Texto: Ascom – Prefeitura do Rio de Janeiro
Foto: Marcelo Piu

Reportar Erro