A dor é de todas e a luta continua

Artigo escrito por Tânia Bastos, vereadora, presidente municipal do PRB Rio de Janeiro e coordenadora estadual do PRB Mulher

Publicado em 19/02/2019 - 00:00

O noticiário dramático não é uma exclusividade de 2019, há muito tempo somos bombardeados com histórias comoventes e que nos revoltam. Seja pela impunidade, corrupção ou violência. Infelizmente, nós mulheres somos o centro dos casos mais violentos. O número de feminicídios só cresce e continuamos a ser mortas por quem somos.

Após um novo caso, as redes sociais se enchem de tristes comentários que insistem em culpar as vítimas: “Ela procurou!”; “Ela não poderia chegar tarde”; “Ela não se deu ao respeito”; como se agredir uma mulher fosse a forma de educá-la ou domesticá-la, e quem disse que precisamos disso? A Lei do Feminicídio ainda é questionada. Só no Rio em 2017 foram 89 casos, a idade média das vítimas: 18 a 30 anos e em 65% das ocorrências o agressor é conhecido. Até quando?

Estou vereadora da Cidade do Rio no terceiro mandato e venho pautando as minhas ações nas políticas públicas voltadas também para o universo feminino. No início deste mês de fevereiro, participei da inauguração da sede do Codim-RJ (Conselho de Direitos da Mulher). Durante o meu discurso, lembrei de toda a trajetória do conselho, desde a sua votação, em tempo recorde na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, às primeiras ações e conquistas. Quando assumi, lutei pela abertura de uma Comissão Permanente de Defesa da Mulher, que presidi por oito anos, e fui incansável na luta pela criação deste Conselho. Ações que demonstram o quão atento e em sintonia está o PRB com as demandas femininas.

Ampliar os canais de atendimento à mulher neste momento é muito oportuno e necessário. Temos que nos unir e reagir contra tantos casos de violência doméstica. A luta por igualdade está apenas no começo, mas a abertura de centros como este são um salto na história da sociedade carioca.

Tenho certeza que chegará um dia em que nenhuma de nós viveremos com medo e insegurança. A dor é de todas e a luta continua. Seremos respeitadas! Eu confio!

*Tânia Bastos é vereadora, presidente municipal do PRB Rio de Janeiro e coordenadora estadual do PRB Mulher

Reportar Erro