Vereadora Ana Lúcia realiza debate sobre cyberbullying

Objetivo do debate foi elaborar propostas que possam fortalecer o combate a esse tipo de violência

Publicado em 20/09/2021 - 10:00

Recife (PE) – A Câmara do Recife realizou, na sexta-feira (17), uma audiência pública virtual que teve como o tema o Cyberbullying, a violência virtual. A iniciativa foi da vereadora Professora Ana Lúcia (Republicanos), e o objetivo do debate foi elaborar propostas que possam fortalecer o combate a esse tipo de violência.

A Vereadora salientou que por meio do Cyberbullying, as difamações se propagam de forma praticamente instantânea, e que o efeito multiplicador do sofrimento das vítimas é imensurável.

“Os praticantes desse modo de perversidade também se valem do anonimato e, sem nenhum constrangimento, atingem a vítima da forma mais vil possível”.

Para o doutor em psicologia Sidcley Bezerra, Especialista em bullying e Cyberbullying e violência no contexto educativo, o bullying tem três características essenciais: a repetição, a intenção, e o desequilíbrio de poder, e, esses três critérios se tornam ainda mais complexos, pois o contexto virtual apresenta alguns desafios como o anonimato e perfis falsos.

O Juiz Élio Braz Mendes, da 2ª Vara da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), abordou as características jurídicas do Cyberbullying.

“É um nome novo para um crime que já existe, o crime de perseguição, que tem uma intenção e um objetivo com um viés de ordem ideológica, moral, sexual, racial. As causas são infinitas e existe o elemento da ameaça à integridade física ou psicológica, que traz como consequência a restrição da capacidade de locomoção e uma invasão à esfera da liberdade e da privacidade. ”

Além do Juiz Élio Braz Mendes, e do psicólogo Sidclay Garcia, também participaram do debate Carolina Garcia, Comissária do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente, Leonardo Barreto, Especialista em Direito Digital e Compliance, e Salomão Abdo,Promotor de Educação e representante do Centro de Apoio Operacional à Atuação Criminal do Ministério Público de Pernambuco.

Durante a audiência pública, os participantes destacaram ações de combate ao Cyberbullying que já estão acontecendo na cidade, incluindo palestras realizadas pela DPCA em parceria com a prefeitura do Recife. Leonardo Barreto destacou que já realiza desde 2014, palestras sobre o tema, nas quais evidencia as consequências do crime de para o adolescente que o comete. Todos os participantes concordaram que existe uma necessidade de ampliação das medidas preventivas.

No final do evento, os convidados puderam sugerir alternativas para conter o Cyberbullying. Foi sugerido que um resumo das palestras seja encaminhado às escolas do Recife, como incentivo para os gestores, coordenadores e professores trabalharem o comportamento de jovens nas unidades. Também foi sugerida a elaboração de cartilhas e materiais explicativos para os pais, que muitas vezes não têm o domínio tecnológico. Outra proposta foi a formação de um Grupo de Trabalho, formado por representantes de diversos órgãos públicos, incluindo os participantes da audiência, para debater o Cyberbullying, e elaborar ações que ajudem a combater esse tipo de crime.

Texto e foto: Ascom – vereadora Professora Ana Lúcia

Reportar Erro
Send this to a friend