Vandecleya Moro apresenta audiência pública para o Plano de Rotas Acessíveis

A ação visa atender demandas de pessoas com deficiência e que vai contar com propostas por parte da sociedade

Publicado em 13/09/2021 - 08:00

Campinas (SP) – A secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Vandecleya Moro e o prefeito da cidade, Dário Saadi presidiram na última quinta-feira (9), a abertura da Audiência Pública do Plano Municipal de Rotas Acessíveis (PMRA), no Paço Municipal.

Para Vandecleya Moro, o Plano Municipal de Rotas Acessíveis evidencia o compromisso de Campinas com a inclusão das pessoas com deficiência. “Como costumo dizer, política pública se faz com parceria e é a união dos esforços de todos que estamos vendo nesse plano de acessibilidade. Campinas é uma cidade generosa e solidária e ultrapassar as barreiras que dificultam o acesso de pessoas com deficiência é um compromisso do governo e da sociedade civil”, afirmou.

O propósito do Plano Municipal de Rotas Acessíveis é identificar os principais locais públicos que geram circulação de pedestres para proporcionar um melhor acesso de pessoas com deficiência, especialmente as deficiências visual e física. Serão utilizados meios como piso tátil, rampa e sinal sonoro.

O Plano obedece às diretrizes do Plano Diretor do Município e está em consonância com o Planos de Mobilidade Urbana, de Revitalização e o da Primeira Infância Campineira (PIC).

Setembro Verde – A secretária anunciou nesta semana a campanha do “Setembro Verde” na cidade de Campinas, que tem como slogan a frase ‘Ser diferente é o que faz a gente ser igual’. Segundo estimativas do IBGE, Campinas tem cerca de 30% da sua população com algum tipo de deficiência, seja em alto grau, seja de forma parcial.

Para a secretária, as pessoas com deficiência clamam por uma sociedade mais justa, que reconheça, aceite e acolha a todos em suas diversidades, anseios e dignidade. “Aprendemos muito quando fazemos da diferença aquilo que nos completa. A diversidade enriquece o povo que a cultiva, e Campinas é um exemplo disso. Ninguém é uma ilha ou se basta. Juntos podemos mais, e isso nos ensina a caminhar com firmeza rumo a um mundo mais justo”, disse.

Texto: Ascom – Prefeitura de Campinas
Edição: Ascom Mulheres Republicanas Nacional

Reportar Erro
Send this to a friend