TPM: sororidade em tempos de campanha eleitoral

Você pode ajudar uma mulher que está participando das Eleições 2020. Saiba como

Publicado em 10/11/2020 - 07:10

Brasília (DF) – O machismo e racismo fazem com que competições, como as eleições 2020, tornem-se menos justas paras as mulheres. Na disputa eleitoral isso piorou por causa da pandemia do coronavírus, muitas se viram de mãos atadas por ter que ficar em casa com os filhos que tiveram suas aulas presenciais canceladas, por exemplo. Porém, essa disparidade pode ser diminuída com ações simples.

A secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Dra. Cristiane Britto (Republicanos), tratou sobre o assunto em lives realizadas pelo Ministério dos Direitos Humanos do Governo Federal. Ela reafirmou os percalços da mulher candidata. “A dificuldade que a mulher candidata tem hoje em plena pandemia é enorme. Ela tem que cuidar do filho, que está fora da escola, as vezes cuidar da mãe, do sogro, da sogra, que são pessoas que podem ser acometidas pela covid-19. Ela, que se programou há quatro anos para se candidatar, se depara com essa nítida desvantagem com relação aos homens, por exemplo”, conta.

Porém, na contramão dessa disputa desigual estão grupo de mulheres que se apoiam e trazem para o dia a dia a sororidade. “Acho que nunca antes vimos tanto coletivos de mulheres que se ajudam, muitas ferramentas e realmente nós podemos dizer que estamos mais unidas e mais comprometidas com a candidatura feminina. A gente sabe que obstáculos existem, mas você pode superar”, contou. Esses grupos citados pela secretária exercem atitudes que ajudam e tornam mais funcional o cotidiano e campanha dessas candidatas. Como ajudar:

  1. Muitas delas têm filhos que estão tendo aulas em casa. Se disponibilize a ajudá-las, principalmente se ela for da família ou do círculo de amigos;

  2. As redes sociais são democráticas e você pode ajudar uma candidata expondo as propostas e trabalho dela e compartilhando com amigos essas informações; e

  3. Ajude-a na campanha presencial se possível. Muitas precisam de apoio e quanto mais pessoas falarem sobre a necessidade da mulher na política, mais isso será mais fácil de ser atingido.

Texto: Gabbriela Veras | Ascom Mulheres Republicanas Nacional
Foto: Getty Images

Reportar Erro