TPM: OMS lança guia para eliminar o câncer do colo de útero

Organização Mundial cria metas para eliminar a doença e republicana comenta

Publicado em 01/09/2020 - 08:29

Brasília (DF) – A Organização Mundial da Saúde (OMS) criou um guia com metas para eliminar o câncer do colo de útero. A doença matou mais de 300 mil mulheres só em 2018. O câncer pode ser previsível com vacinação e detecção precoce do HPV, mas ainda assim a taxa de diagnósticos positivos ainda é alta. São 151 mil brasileiras com a doença para cada 100 mil.

A vereadora de Boa Vista, Dra. Magnólia Rocha, é presidente da Liga Roraimense de Combate ao Câncer e fala sobre a realidade da doença o na região norte. “Apesar do cenário de Roraima ser de alto incidente para o câncer de colo de útero, existe um privilégio em relação a prevenção à doença, pelo nosso trabalho em parceria com a Liga Roraimense de Combate ao Câncer. Nós conseguimos mudar o perfil epidemiológico desse câncer no estado de Roraima”, comentou ela.

Para a OMS, o câncer do colo de útero estará eliminado quando todos os países mantiverem uma taxa de incidência menor do que a de quatro casos em cada 100 mil mulheres. No Brasil são estimados mais de 16 mil novos casos e 6.500 mortes ao ano. A doença é a terceira mais comum no sexo feminino e é a quarta que mais mata.

O documento feito pela Organização tem três níveis: vacinação, exame e tratamento. O câncer do colo de útero é causado pelo HPV, para tratar a doença existe vacina. O exame (Papanicolau) vai possibilitar o rastreamento de lesões pré-cancerosas e o tratamento vai indicar quais os melhores cuidados para as pacientes. Para eliminar a doença, a OMS acredita ser necessário vacinar 90% das meninas de até 15 anos contra o vírus até 2030.

A vacina está disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS) para meninas de 9 aos 14 anos e para meninos de 11 a 14 anos. Porém, estimativas do Ministério da Saúde mostram que pouco mais de 40% das adolescentes do país recebeu as duas doses recomendadas.

Além do aumento da cobertura vacinal, estão entre as metas da OMS fazer exames de rastreamento em 70% das mulheres até os 35 anos e tratar 90% das diagnosticadas com lesões pré-cancerosas ou malignas até 2030. Com isso, a expectativa é que 62 milhões de mortes sejam evitadas até 2120, de acordo com a Organização.

Texto: Gabbriela Veras | Ascom – Mulheres Republicanas
Foto: divulgação

Reportar Erro