TPM: Negras no Emmy e a representatividade

As portas que se abrem para o reconhecimento de mulheres negras marcam história

Publicado em 22/09/2020 - 08:39

Brasília (DF) – A 72ª edição dos Prêmios Emmy, que contempla séries, artistas e novelas que mais se destacaram na temporada, foi marcante não somente pelo formato virtual, mas por manter uma mulher negra como vencedora pelo segundo ano consecutivo. A atriz Zendaya conquistou o seu primeiro Emmy aos 24 anos na categoria de melhor atriz. Na edição passada, quem levou a estatueta foi a atriz Viola Davis.

O reconhecimento do trabalho de mulheres e, principalmente, mulheres negras é o estabelecimento pleno da democracia nas várias áreas da sociedade. No Congresso Nacional, por exemplo, apenas 2,36% das parlamentares mulheres são autodeclaradas pretas ou pardas. A deputada federal Rosangela Gomes e secretária nacional do Mulheres Republicanas é uma delas. Para ela, a conta não fecha, pois elas são maioria na sociedade, no eleitorado, mas não existe essa representatividade ainda.

“Assim que uma mulher se vê representada, seja na televisão, em premiações e até mesmo no parlamento há uma quebra de preconceitos e machismo que colocaram na cabeça dela. Ela começa a perceber que ela pode chegar até aquele lugar também, que o trabalho dela pode ser reconhecido e que o lugar dela é onde ela quiser. Durante muito tempo a nossa sociedade é a responsável pelas dívidas de anos cobradas de mulher, principalmente das negras. É chegada a hora de romper isso e naturalizar a mulher sendo honrada e alcançando o sucesso”, comentou Rosangela Gomes.

Em um ano em que os Estados Unidos são palcos de milhares de manifestações antirracistas, esta edição do Emmy fez história com recorde de atores negros premiados. 33% dos indicados em todas as categorias eram negros, em comparação aos 14% nos cinco anos anteriores. Com a vitória deste ano, Regina King obteve seu quarto Emmy, empatando com Alfre Woodard, como artista negra com mais prêmios. As duas trabalharam juntas recentemente em uma mesa de leitura virtual que reconstruiu um episódio da série The Golden Girls (1985) com artistas negros.

Zendaya, de 24 anos, se tornou a atriz mais jovem a vencer na categoria de Melhor Atriz de Drama, por seu papel como a adolescente problemática Rue Bennett em Euphoria. Até então, a mais jovem a ganhar o prêmio era Jodie Comer, que venceu em 2019 por sua atuação em Killing Eve, aos 26 anos.

Texto e fotomontagem : Ascom – Mulheres Republicanas

Reportar Erro