TPM: Heroínas na batalha contra a Covid-19

TPM: Heroínas na batalha contra a Covid-19

Mulheres se destacam e atuam na linha de frente contra o coronavírus

Publicado em 07/07/2020 - 09:00

São Paulo (SP) – Desde o início da pandemia do novo coronavírus ficou ainda mais nítida a importância da mulher na sociedade. Em março tivemos uma dupla de brasileiras pesquisadoras que saíram na frente no sequenciamento do genoma do vírus e agora temos uma cientista brasileira que está, com sua equipe, abrindo os caminhos para tornar possível o desenvolvimento da vacina contra a Covid-19.

Doutora pelo Instituto Butantan, a cientista brasileira Daniela Ferreira, coordena um dos laboratórios que testa a futura proteção, que foi elaborada pela Universidade de Oxford, no Reino Unido. A vacina é uma das mais promissoras contra a doença que já tirou a vida de 65 mil pessoas, somente no Brasil. A imunização já está na fase 3 da testagem em humanos, mais de 10 mil pessoas participam dos testes atualmente.

Daniela é a primeira mulher a chefiar o departamento e com esse feito fez com que sua equipe fosse, em sua maioria, composta por mulheres. “Em todas as reuniões que participava eu era a única mulher e a única não-inglesa, o que gerava um desconforto nas pessoas. Hoje me orgulho em dizer que 97 dos 100 integrantes da minha equipe são mulheres”, disse a cientista em entrevista a uma emissora de televisão.

O fato é que a pandemia veio para deixar claro que a maioria das pessoas que estão na linha de frente contra a doença é composta por mulheres. Seja no trabalho doméstico, na enfermagem, na pesquisa e até mesmo na medicina. Ainda na entrevista, ela afirmou: “eu realmente acho, como cientista, que teremos pelo menos uma, ou mais de uma vacina, até dezembro. Vou trabalhar o máximo que eu puder para contribuir o máximo que der”, conclui.

Texto: Gabbriela Veras | Ascom Mulheres Republicanas Nacional
Foto: Reprodução

 

Reportar Erro