Sancionada lei que garante à gestante afastamento do trabalho presencial na pandemia

A deputada Aline Gurgel comemorou a decisão que busca proteger gestantes do contágio pelo coronavírus

Publicado em 15/05/2021 - 08:00

Brasília (DF) – Na última quarta (12), a bancada feminina da Câmara dos Deputados, em Brasília, comemorou mais uma lei sancionada que garante os direitos e a saúde da mulher. Ainda no mês das mães, os parlamentares aprovaram o Projeto de Lei 3932/2020, que garante regime de teletrabalho às trabalhadoras gestantes durante a pandemia de Covid-19. A norma foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (13).

A deputada federal Aline Gurgel (Republicanos-AP), titular da Comissão dos Direitos da Mulher na Câmara Federal, comemorou a medida, pois, segundo ela, é o melhor e mais seguro para a mãe e consequentemente para o bebê. “ Sabemos que a gestante corre risco de morte caso contraia o vírus do Covid-19. Sua exposição, caso não venha a óbito, pode trazer danos diversos e até mesmo sequelas irreversíveis de saúde a ela e ao feto. Foi feito o melhor, pois ainda estamos vivendo os alarmantes dados de morte por covid. A Lei vai ajudar mulheres grávidas no país a vencer esses índices desfavoráveis, sem ter prejuízos no seu trabalho”, apontou.

Números de mortes de gestantes por Covid-19

O número de mortes de grávidas e mães de recém-nascidos por Covid-19 mais que dobrou em 2021 em relação à 2020. Além disso, o aumento de mortes neste grupo ficou muito acima do registrado na população em geral, segundo dados analisados pelo Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 (OOBr Covid-19). Uma média de 10,5 gestantes e puérperas morreram por semana em 2020, chegando a um total de 453 mortes no ano passado em 43 semanas epidemiológicas. Já em 2021, a média de óbitos por semana chegou, até 10 de abril, a 25,8 neste grupo, totalizando 362 óbitos neste ano durante 14 semanas epidemiológicas.

Segundo o levantamento, houve um aumento de 145,4% na média semanal de 2021 quando comparado com a média de mortes semanais do ano passado. Enquanto isso, na população em geral, o aumento na taxa de morte semanal em 2021 na comparação com o ano anterior foi de 61,6%.

Suspensão da vacina AstraZeneca em gestantes

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou nesta terça-feira (11), em nota, que a decisão de propor a “suspensão imediata” do uso da vacina da AstraZeneca em grávidas foi tomada após uma gestante e o feto que carregava morrerem dias após a vacinação.

A Anvisa fala em “evento adverso” e não em “efeito adverso”. Ou seja, não há, ao menos até o momento, confirmação de nexo causal entre a vacina e o caso da gestante, acometida com um acidente vascular cerebral.

Fonte: Agência Brasil/ Câmara dos Deputados
Texto: Gisele Rocha/Ascom Mulheres Republicanas
Foto: cedida

Reportar Erro
Send this to a friend