Republicanas aderem campanha Sinal Vermelho

Campanha cria uma rede de proteção para mulheres vítimas de violência em todo o país

Publicado em 10/07/2020 - 09:32

Brasília (DF) – Um verdadeiro time contra a violência doméstica está sendo montado em todo o país. Integrantes do Mulheres Republicanas estão aderindo à campanha Sinal Vermelho e promovendo informações sobre a ação criada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). O objetivo é desenvolver uma rede de proteção para mulheres que são vítimas de violência doméstica.

A secretária do Mulheres Republicanas Acre, deputada estadual Doutora Juliana, é uma das engajadas na ação e propagou em suas redes como a campanha funciona. “Se o silêncio sempre foi uma das maiores barreiras para o enfrentamento da violência doméstica contra a mulher, agora ele pode ser usado para denunciar o agressor. A mulher vítima só precisa fazer um X na palma da mão, mostrar em uma farmácia e o atendente, imediatamente, chamará a polícia”, explicou.

Redes de farmácias do país inteiro se inscreveram no projeto, uma verdadeira força-tarefa. No Amazonas, por exemplo, são mais de 70 estabelecimentos que participam da iniciativa, como explica a secretária estadual do Mulheres Republicanas, Mirtes Salles. “Aqui, no estado, são 73 farmácias que aderiram à campanha Sinal Vermelho para a Violência Doméstica, sendo 70 na capital Manaus e uma em Manacapuru, uma Itacoatiara e outra em Parintins”, conta a republicana que visa a denúncia de mais casos de violência doméstica.

Outra republicana que desenhou um X vermelho na mão em forma de apoio foi a secretária do Mulheres Republicanas Pará, a deputada estadual Professora Nilse Pinheiro. Ela, que fala sobre a responsabilidade de todos diante do aumento dos números de violência, esclareceu também que a população deve estender a mão para a vítima. “A violência é um mal que atinge a todos. A família é atingida e as crianças principalmente. Nós somos responsáveis por tudo isso, por isso devemos ser inquietas, nos ajudar, meter a colher em relacionamento abusivo e violento. Tudo isso para que estejamos mais atentas a essas questões que são primordiais para salvarmos vidas” conclui.

Além disso, outro trio de impacto que aderiu à campanha foi a bancada feminina do Republicanos na Câmara dos Deputados: as deputadas Rosangela Gomes (RJ), Aline Gurgel (AP) e Maria Rosas (SP).

A campanha Sinal Vermelho para a Violência Doméstica foi criada em junho pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). Com o apoio de mais de 10 mil farmácias pelo país, o objetivo é criar uma rede de denúncias acessível para mulheres que sofrem com agressões. O canal é silencioso. Basta mostrar um X vermelho na mão para atendentes ou farmacêuticos. O símbolo é um claro pedido de ajuda.

A partir desse momento, o estabelecimento ficará responsável por fazer a denúncia, por meio de uma ligação. A “Sinal Vermelho” é uma resposta aos números que assustam e escancaram a realidade da violência contra a mulher no país. Essas estatísticas ficaram ainda maiores durante o período de isolamento social: em março e abril o índice de feminicídio cresceu 22,2%, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Texto: Gabbriela Veras / Ascom – Mulheres Republicanas Nacional
Foto destaque: Reprodução

Reportar Erro