Programa Forte por Ser Mulher ressalta importância de ações para prevenir o suicídio

Programa “Forte por Ser Mulher” é transmitido todas às quintas-feiras pelas redes sociais da vereadora Ireuda Silva

Publicado em 22/09/2020 - 09:31

Salvador (BA) – O programa “Forte por Ser Mulher” desta semana, transmitido todas às quintas-feiras pelas redes sociais da vereadora Ireuda Silva (Republicanos), focou no tema da prevenção ao suicídio, por ocasião do “Setembro Amarelo”. A republicana debateu o tema com a psicóloga Juliana Galvão e ambas responderam a várias perguntas e dúvidas enviadas por internautas.

Ireuda lembra que família e amigos devem estar atentos quando alguém próximo demonstra pensamentos e atitudes suicidas, e buscar ajudá-la o quanto antes. “Muitas das pessoas que cometem suicídio estão rodeadas por pessoas que não conseguem perceber os sinais. As pessoas têm o costume de opinar na vida das outras, mas opinam na ótica delas”, disse. “Sabemos que ela tem a opção de não fazer [o suicídio]. Mas para isso é preciso um suporte. Esse tema deveria ser tratado diariamente, e não de ano em ano”, acrescentou.

Para Juliana Galvão, embora o ato de tirar a própria vida seja uma escolha, o suicida costuma acreditar que não existe outra opção para ele, dado o seu estado de fragilidade psicológica e emocional. “A opção existe, no sentido literal da palavra, como se houvesse outra escolha”, avalia.

Durante o programa, também foi discutido o suicídio entre parcelas socialmente vulneráveis da população, a exemplo das pessoas em situação de rua. Segundo a psicóloga, muitos desses indivíduos acabam tirando a própria vida. “É uma população vulnerável, não só no sentido material, mas emocional. Não têm afeto, apoio, e encaram a morte como uma saída para esse problema”, explica. “Para muitas pessoas em situação de rua [o suicídio] é a única saída. Então a necessidade de rever questões relacionadas ao suicídio passa também pelos nossos posicionamentos, inclusive no sentido das palavras que usamos”, acrescenta.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o oitavo país no ranking de suicídios, atrás de Índia, China, Estados Unidos, Rússia, Japão, Coreia do Sul e Paquistão.

Um dos projetos de prevenção ao suicídio mais importantes do país é o Centro de Valorização da Vida (CVV), que realiza apoio emocional, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. Quem precisar, pode ligar para gratuitamente para o número 188 ou acessar o site cvv.org.br.

Texto e foto: Ascom – vereadora Ireuda Silva

Reportar Erro