Mulheres Republicanas lança campanha nacional em combate ao câncer de mama

Mulheres Republicanas mobiliza o país no combate ao câncer de mama

A ação integra iniciativas que incluem campanha em rede social, mobilização nas ruas e recomendações de ações para estados e municípios ao longo do mês de outubro

Publicado em 19/10/2019 - 00:00

Brasília (DF) – Empenhadas na campanha Outubro Rosa, que tem como objetivo lutar e conscientizar a população sobre o câncer de mama, o Mulheres Republicanas levará às ruas, ao longo deste mês, centenas de mulheres do movimento para fortificar a causa com a campanha “Eu me cuido #toemdia”.

“A princípio nossa campanha seria somente virtual, mas nossas republicanas são tão empenhadas e dedicadas que se organizaram para ir às ruas e não somente popularizar a chamada pelas redes sociais, mas também fazer chegar aos ouvidos de todos aqueles que de certa forma não possuem acesso à internet, sobre a importância e relevância da conscientização e prevenção ao câncer de mama,” destacou a secretária nacional do movimento, deputada federal Rosangela Gomes (RJ).

A campanha visa conscientizar as mulheres de que elas precisam estar em dia com os exames médicos e até o mesmo o autoexame. “Muitas são as mulheres que através do toque descobrem que há algo diferente em seu corpo e a partir daí iniciam a jornada. Sabemos que o nosso país carece de celeridade na questão dos exames realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e essa é uma das bandeiras que luto com a bancada do meu partido na Câmara dos Deputados”, destacou a deputada.

Com vários eventos programados no estado, a secretária estadual do Mulheres Republicanas do Ceará, Cássia Vasconcelos, está ansiosa para a realização da ação. “É importante levar conscientização a todos, mulheres e homens. Até porque o câncer de mama mesmo em raridade, também pode atingir o gênero masculino.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), somente 1% da população mundial masculina é acometida com a doença do câncer de mama. Entretanto, mesmo com esse número tão baixo, havendo o diagnóstico tardio ou a falta do tratamento adequado, ele também pode ser fatal. Já no caso das mulheres, a doença corresponde a 25% de novos casos a cada ano no mundo e no Brasil, o percentual é de 29%. Em 2017 foram registradas 16.927 mortes com a doença, sendo 16.724 mulheres e 203 homens.  A forma do diagnóstico funciona de maneira igual para ambos, através da mamografia, ultrassom e biópsia.

Já a partir de sábado (19), a campanha começa a ser realizada em diversas regiões do Brasil, inclusive em Pernambuco, que reunirá as mulheres na capital Recife, na Praça do Livramento a partir das 9h. Com a iniciativa da vereadora Professora Ana Lucia (Republicanos), o evento contribuirá com a população com aferição de pressão; orientação médica; medição de glicose; mamógrafo e um momento de atividades físicas.

Texto e fotos: Carolina Ribeiro/ Ascom – Mulheres Republicanas
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro