Maria Rosas quer o projeto “Homem Sim, Consciente Também” em âmbito nacional

A ação visa conscientizar homens com histórico de agressão às mulheres

Publicado em 25/03/2021 - 13:00

São Paulo (SP) – Em conscientização ao mês da mulher, a deputada federal Maria Rosas (Republicanos-SP) se reuniu virtualmente, na última segunda-feira (22), com o secretário da Justiça e da Segurança Pública de São Paulo, Fernando José da Costa, com a delegada de Polícia (SP), dra. Renata Cruppi, com a cirurgiã Carla Goes, idealizadora do projeto social “Um Novo Olhar”, e com a coordenadora de Políticas para Mulheres, Edna Martins, para dialogar sobre o projeto “Homem Sim, Consciente Também”.

A iniciativa é pioneira e foi lançada em meados de novembro de 2014 pela Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher de Diadema (Demacro), que consiste em realizar grupos de conversa com homens com histórico de agressão às companheiras, esposas e/ou filhos, independentemente de abertura ou não de inquérito.

Em alusão a esse projeto, a deputada Maria Rosas realizou a Indicação 687/2020, na Câmara dos Deputados, para que seja dado a ele âmbito nacional. “A indicação tem o objetivo de levar orientação e acompanhamento aos homens de todo o país. Respeitar as mulheres e entender que elas têm autonomia sobre a própria vida é fundamental na prevenção à violência doméstica. É igualmente importante levar conscientização sobre os desgastes e o sofrimento que a violência gera, não só para a mulher, mas para o homem e toda a família”, aponta a deputada.

Durante cinco encontros os participantes têm a oportunidade de enfrentar os motivos que o levaram à agressividade e a dividir suas experiências com outras pessoas que também vivem conflitos internos. Através do “Homem Sim Consciente Também”, a unidade oferece respaldo e suporte a homens que possuem caráter violento. Um trabalho que independe do inquérito policial e tem como objetivo assegurar a diminuição da violência contra a mulher em ambiente familiar e na sociedade em geral.

A delegacia oferece, durante as reuniões, uma abordagem multiprofissional para em média 15 participantes por temporada. Além do respaldo jurídico, a equipe é formada por assistentes sociais, psicólogos e outras áreas vinculadas ao combate à violência.

Texto: Ascom – deputada Maria Rosas
Edição: Gisele Rocha/ Ascom Mulheres Republicanas
Foto: cedida

Reportar Erro
Send this to a friend