Lei Maria da Penha: aniversário traz reflexão sobre avanços e desafios

A Secretária Nacional Cristiane Britto analisou a prática da Lei no estado de Goiás

Publicado em 15/08/2020 - 14:30

Brasília (DF) – Em comemoração ao aniversário da Lei Maria da Penha, a Secretaria de Desenvolvimento Social de Goiás promoveu o webinário “Aniversário de 14 anos da Lei – avanços e desafios no interior do Estado”. A ação teve a participação da Secretária Nacional de Política para as Mulheres, Dra. Cristiane Britto (Republicanos), e da Secretária Estadual de Desenvolvimento Social de Goiás, Lúcia Vânia.

A titular da Secretaria Nacional destacou que o estado tem sido um grande parceiro na implementação de ações para enfrentar a violência contra a mulher, como a campanha “Alô, vizinho! ”, e que haverá a reformulação do projeto da Casa da Mulher Brasileira (CMB), que permitiu aumentar o número de unidades. “A boa notícia para Goiás é que já temos recursos garantidos para a instalação das casas em Goiânia e na Cidade Ocidental”, disse.

A secretária estadual do Mulheres Republicanas Goiás, Rosa Bravo, concorda com Cristiane ao afirmar que a Lei tem sido aplicada. “Os casos de violência aqui em Goiânia e no estado de Goiás são muitos, infelizmente. A Lei Maria da Penha é essencial para combater e principalmente punir os criminosos que cometem feminicídio, crime que, infelizmente, só tem crescido aqui. Ano passado vimos um triste caso de perto, uma secretária municipal do nosso movimento foi uma vítima, mas a justiça tem sido feita. Foi preso e está sendo julgado. Tudo isso graças à Lei”, explica.

Para a secretária estadual de desenvolvimento social de Goiás, Lúcia Vânia, apesar dos avanços e do trabalho realizado nos últimos anos, ainda há um longo caminho no combate à violência contra a mulher. “É um momento de comemoração e de reflexão para o enfrentamento a essa chaga que afeta de forma sistêmica a sociedade”, afirmou.

Por fim, Cristiane Britto pediu que os responsáveis fiquem vigilantes e façam uma verdadeira força-tarefa para coibir os casos. “Queria reforçar aqui o nosso apelo para que governo estadual, municípios e Judiciário assegurem o pleno funcionamento dos serviços da rede, ao longo da pandemia. É indispensável que as mulheres possam contar com uma estrutura real neste momento de extrema dificuldade”, ressaltou.

Texto: Gabbriela Veras | Ascom Mulheres Republicanas Nacional com informações do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos
Foto: reprodução

 

 

Reportar Erro