Karime Fayad é a nova prefeita de Rio Branco do Sul (PR) 

Republicana foi eleita com 12.117 votos no pleito eleitoral de 2020 

Publicado em 09/01/2021 - 18:44

Rio Branco do Sul (PR) – No último dia 1º de janeiro, a prefeita eleita de Rio Branco do Sul, a republicana Karime Fayad, tomou posse para a legislatura (2021/2024), na Associação dos Servidores Municipais de Rio Branco (ASEM). Em cumprimento à normativa sanitária, apresentada no Decreto Estadual 6294/20, para conter a propagação da Covid-19, a solenidade foi realizada sem a presença de público.

Para a prefeita, o momento marca o início de uma relação harmoniosa e diplomática entre as autoridades e entre os poderes, com o objetivo de estreitar a interação e diálogos futuros sobre pautas de trabalho comuns que favoreçam o bem da população e o desenvolvimento do município. “Inicio um novo ciclo como Prefeita Municipal de Rio Branco do Sul. Nosso desafio será imenso, mas com vontade, otimismo e compromisso de trabalho, iremos colocar a Casa em ordem e mostrar resultados concretos, que atendam aos anseios da nossa população”, disse.

“Agradeço ao Sr. Ezequiel Medeiros de França, guardião da Prefeitura Municipal, por sua humildade e generosidade em se dispor a entregar as chaves da Casa do Povo. Foi um gesto de grandiosidade que me deixou mais feliz ainda, pois as chaves vieram de mãos honestas e foram entregues a uma Prefeita honesta. Muito obrigada!”, completou.

Sobre a eleita

Karime Fayad tem 30 anos, é solteira e arquiteta urbanista, com especialização em Gestão Urbana e Direito das Cidades, na França. Além disso, é mestre em Planejamento Urbano, pela UFPR.  A republicana atuou por cinco anos na cidade de Pinhais, onde passou pelas secretarias de Urbanismo, Obras e Educação. Contudo, sua carreira política começou cedo, ainda adolescente, quando protestava pela duplicação de rodovias e áreas de lazer em sua cidade natal, Rio Branco. Como cidadã, ela participou de conselhos sociais, da saúde, da segurança e da juventude.

Em 2016, se candidatou à prefeitura e recebeu 6.976 votos. “Fui a primeira candidata mulher que não comprou voto em uma cidade com passado tenebroso, com a morte de dois ex-prefeitos assassinados e coronéis na política. Eu era um nome completamente novo. Minha família não tem passado político e nós surpreendemos muita gente”, conta a prefeita. Em 2018, Karime se lançou deputada estadual e conseguiu 14.119 votos, em uma campanha de 45 dias, sem nada planejado nem base de apoio em outros municípios. “Fui a mais votada de Rio Branco do Sul e de Itaperuçu, município vizinho. Nenhum candidato tinha feito tantos votos assim. Ninguém esperava isso de uma menina, que é como me chamam. Sofri muito por ser mulher, o preconceito foi muito, muito grande. Mas viemos desconstruindo isso nestes últimos anos e agora entramos fortes na campanha, com uma boa coligação e elegemos seis vereadores, a maioria na Câmara”, destacou.

Em sua gestão, a chefe do Executivo de Rio Branco do Sul pretende reforçar a transparência, reduzir a corrupção, e buscar o equilíbrio social e o desenvolvimento econômico. “Mas sempre com uma gestão voltada às pessoas, com pavimentação, tratamento de esgoto, saúde e educação, a única maneira de tirar as crianças das drogas”, afirmou.

Sobre ser mulher num cenário predominantemente masculino, Karime diz que é preciso ser dura. “Nosso olhar é diferente, né. Num cenário de homem ‘macho’, tem muitos que me respeitam. O eleitor masculino me respeita mais do que as mulheres pois há um preconceito entre nós mesmas muito grande. A gente tem força, equilíbrio emocional e temos que mostrar isso na postura. Tem que ser dura, se não passam por cima. Mas é um orgulho ser uma mulher na política”, admitiu.

Texto: Gisele Rocha / Ascom – Mulheres Republicanas Nacional
Fonte: Site Plural
Foto: cedida

Reportar Erro