Investimento para mais mulheres no mercado de trabalho

O Governo implementou o projeto “Qualifica Mulher” e Rosangela Gomes comenta a importância da autonomia 

Publicado em 02/01/2021 - 08:20

Brasília (DF) – O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM) estão em união para promover mais empregos e fazer com que as mulheres gerem renda. Mais de R$ 18 milhões serão investidos para ampliar as possibilidades de inserção das mulheres em situação de vulnerabilidade social no mercado de trabalho. A líder do Mulheres Republicanas Nacional, deputada federal Rosangela Gomes, comenta a importância da autonomia feminina:

“O ciclo da violência se repete sempre, porque muitas mulheres não têm como sair de casa para se manterem. Muitas dependem financeiramente de seus companheiros e a dependência acontece neste momento. Por isso é importante que a gente foque sempre em ações como essas, desenvolvidas pelo Ministério da Mulher. Visando o empreendedorismo, formação e capacitação feminina a gente consegue dar suporte a essas mulheres que tanto precisam”, disse a parlamentar republicana.

O projeto-piloto Qualifica Mulher foi instituído em portaria assinada pela ministra Damares Alves, titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). A assinatura ocorreu no último dia da campanha dos 16 Dias pelo Fim da Violência contra a Mulher, durante a comemoração do Dia Internacional dos Direitos Humanos em cerimônia do MMFDH. A iniciativa com foco na promoção da autonomia econômica, além de estimular a qualificação profissional, trabalho e empreendedorismo, vai fomentar a geração de emprego e renda. Tudo será coordenado pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM).

As ações vão beneficiar mulheres que possuam renda mensal de até um salário-mínimo e meio e também àquelas que estejam cursando ou tenham concluído o ensino fundamental, médio ou não tenham escolaridade. Nessa primeira etapa, pelo menos 24 mil participantes serão contempladas.

Texto: Ascom MMFDH
Edição: Ascom Mulheres Republicanas Nacional
Foto: divulgação

Reportar Erro