Instituições militares terão órgão de enfrentamento à violência contra a mulher

Cristiane Britto fala sobre a importância da portaria para a proteção da mulher

Publicado em 14/10/2020 - 18:15

Brasília (DF) – Ainda em comemoração ao Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher, celebrado no dia 10 de outubro, no último dia 9, foi realizada uma cerimônia de assinatura da portaria que cria a Câmara Técnica de Prevenção e Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, do Conselho Nacional dos Comandantes-Gerais das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (CNCG).

A iniciativa tem o apoio da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM) e sua secretária Cristiane Britto (Republicanos) que falou sobre a ação. “O atendimento especializado da polícia militar para as mulheres em situação de violência é um avanço na política pública de enfrentamento desse fenômeno, sobretudo o seu mais triste resultado, que é o feminicídio”, ressaltou.

A câmara terá a finalidade de acompanhar a legislação, regulamentação, diretrizes, protocolos de atendimento e doutrinas operacionais das Patrulhas Maria da Penha e demais policiamentos voltados à prevenção e enfrentamento da violência contra a mulher.

Segundo o Mapa da Violência, em 2018, 4,5 mil mulheres foram assassinadas no Brasil, o que representa uma taxa de 4,3 homicídios para cada 100 mil habitantes do sexo feminino. Isso corresponde ao assassinato de uma mulher a cada duas horas.

O evento também teve a participação dos comandantes-gerais das polícias militares dos 26 estados e do Distrito Federal, além dos responsáveis por programas de enfrentamento de violência doméstica.

Fonte: Ascom MMFDH
Edição: Gisele Rocha
}Foto: Agência Brasil

 

Reportar Erro