Edna Macedo comemora lei de prevenção de câncer em mulheres

Agora, mulheres a partir da puberdade terão direito a fazer os exames mamografia, citopatologia e colposcopia pelo SUS

Publicado em 14/05/2022 - 17:16

São Paulo (SP) – No último dia 10, foi sancionada a Lei 14.335, que amplia a prevenção, detecção e o tratamento dos cânceres de colo uterino, de mama e colorretal em mulheres, e a deputada estadual Edna Macedo comemorou a sanção. Em São Paulo, a republicana é idealizadora do Projeto Cuidando Delas.

O ‘Projeto Cuidando Delas’ acontece por meio de uma carreta equipada com equipamentos e profissionais que oferecem atendimentos de saúde para mulheres, como exames de mamografia e papanicolau.“Sei bem da importância da lei que beneficiará todas as mulheres do Brasil. Agora, a mamografia, a citopatologia e a colonoscopia serão asseguradas a todas as mulheres a partir da puberdade, e não mais a partir dos 40 anos ou do início da vida sexual. Os médicos afirmam que o diagnóstico precoce proporciona um tratamento mais simples em vez dos tratamentos extensivos e complexos, necessários quando a doença já está em grau avançado.Vamos continuar apoiando ações que beneficiam a saúde da mulher em todo o estado”, disse Edna.

“O projeto foi pensado com a intenção de melhorar a situação da saúde feminina, uma vez que muitas delas não têm acesso aos serviços básicos de assistência”, completou a parlamentar.

Segundo a nova lei, a mamografia, a citopatologia e a colonoscopia serão asseguradas a todas as mulheres a partir da puberdade, e não mais a partir dos 40 anos ou com o início da vida sexual.

O texto também deixa de fazer referência especificamente aos exames citopatológicos e mamográficos e passa a incluir todo procedimento necessário para diagnóstico dos cânceres. Além disso, a lei dá ao médico a permissão de solicitar a substituição ou complementação dos exames.

A lei anterior garantia para as mulheres com deficiência as condições e os equipamentos adequados para o atendimento em relação a essas doenças. Com as mudanças, esse direito fica estendido às mulheres idosas.

Fonte: Agência Senado
Edição: Ascom – Mulheres Republicanas
Foto: cedida

 

Reportar Erro
Send this to a friend