Direitos sociais e femininos são bandeiras de Rosa Bravo em Goiânia

Republicana é candidata à Câmara Municipal na capital goiana

Publicado em 01/10/2020 - 08:22

Goiânia (GO) – O Mulheres Republicanas tem inúmeras mulheres no seu time, entre elas está a republicana Rosa Bravo, que lidera o movimento feminino do partido no estado de Goiás.

Nascida no Brasil durante uma viagem dos pais, a republicana morou até os 25 anos na Bolívia e depois veio ao Brasil para estudar e acabou ficando. A política sempre fez parte de sua vida, mesmo antes do seu nascimento, pois de acordo com a republicana, seu pai, argentino, chegou à Bolívia sendo perseguido por ser peronista (denominação dada genericamente ao “Movimento Nacional Justicialista), onde conheceu sua mãe.

No Brasil, Rosa se formou em serviço social, se casou e formou família. Hoje, ela tem cinco filhos, é divorciada do marido após sofrer violência doméstica. “Até hoje, eu tenho sequelas da violência física, ele me enforcava e tenho problemas graves na parte óssea do meu pescoço”, relembrou.

Filiada ao Republicanos há cerca de 12 anos, a secretária estadual de Goiás é candidata neste pleito de 2020 e carrega as bandeiras da mulher, do combate à violência contra a mulher e da questão social. Rosa é assistente social e trabalha na área há 30 anos. Na política, ela se candidata para cargos públicos desde 2006. Ela lembra que sua mãe era prefeita de uma cidade pequena da Bolívia. “Nem salário tinha, só a autoridade. Era muito bom vê-la ela discursando”, disse.

Entrevista

Mulheres Republicanas – Qual seu objetivo como candidata?
Rosa Bravo – Meu objetivo é ser eleita para termos mais mulheres na política e assim poder contribuir com minha experiência de assistente social na qual eu trabalho há mais de 30 anos. Contribuir com políticas públicas que venham ocasionar um desenvolvimento humano de qualidade. Também quero que os jovens recebam uma educação de qualidade onde possam ser desenvolvidos seus talentos e potencialidades. Fazer com que eles venham visualizar perspectivas de vida e de crescimento. Essa educação vai proteger nossos jovens das drogas e dos aliciadores que os levam a ingressar no mundo do crime.

Mulheres Republicanas – Por que escolheu o Republicanos?
Rosa Bravo – Porque é o partido que estou ajudando a construir e onde temos definidos o que somos e o que queremos. Somos conservadores nos costumes, defendemos a família. Somos liberais na economia e acreditamos na inovação. São os valores que quero para meus filhos, netos e futuras gerações. Acredito nelas.

Mulheres Republicanas – Como você vê o papel da mulher na política?
Rosa Bravo – De extrema importância! A mulher tem muito a contribuir com a sociedade. Ela sabe cuidar das pessoas, da casa. É líder e sabe colocar normas e regras de boa convivência. Enfim, somos líderes natas. Também se houver mais participação da mulher nos espaços políticos e de poder haverá uma equidade. Precisamos de homens e mulheres na política. Como a atuação de nossas deputadas federais, elas têm contribuído muito e tem mudado o cenário e a visão da participação feminina na política.

Mulheres Republicanas – Qual a sua prioridade se eleita?
Rosa Bravo – Minha prioridade se for eleita é contribuir para criar um programa que atenda as famílias que estão na linha da pobreza. Programa este que venha a capacitá-las, para sair desta situação. A proposta atenderá as mulheres mais vulneráveis, evitando o trabalho infantil precoce, que leva as crianças destas famílias a evadirem da escola. Quero também, indicar, na educação matérias como empreendedorismo, educação financeira e disciplinas que serão ministradas pelas empresas e sem ônus nenhum para o município.

Mulheres Republicanas – Qual o seu diferencial na política?
Rosa Bravo – Meu diferencial é o caráter e minha idoneidade, minha experiência na área social e meu desejo de ver mais mulheres eleitas.

Texto e foto: Ascom – Mulheres Republicanas

Reportar Erro