Cristina Vitorino institui campanha anual contra a violência doméstica

Vereadora propôs que a Campanha Sinal Vermelho seja realizada anualmente em Franca (SP)

Publicado em 01/08/2020 - 18:30

Franca (SP) – Com o objetivo de manter a vigilância permanente contra os casos de abuso e violência que as mulheres sofrem, a vereadora Cristina Vitorino (Republicanos) propôs a instituição anual da Campanha Municipal “Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica”. O projeto foi aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal de Franca na terça-feira (28).

A iniciativa pede que a campanha seja ininterrupta, o que visa incentivar mulheres em situação de violência a denunciar agressões de forma silenciosa e segura nos estabelecimentos credenciados de Franca. A ação será realizada pela Procuradoria Especial da Mulher e também pela Comissão Permanente da Condição Feminina, ambas instaladas na Corte Municipal.

A republicana, que é a procuradora da Mulher e presidente interina da Câmara Municipal, comemora a aprovação da proposta. “Quero agradecer aos nobres vereadores, que sempre têm apoiado essa causa. No que depender dessa vereadora, cada mês do ano terá uma campanha de alguma forma. Assim, poderemos tocar nesse assunto, lembrar da necessidade de fortalecer a mulher e fazer a violência cair por terra”, explicou.

A campanha permite que a vítima se dirija ao atendente de uma farmácia ou drogaria do município e apresente um X vermelho desenhado na palma da mão. A partir deste momento, é de responsabilidade do estabelecimento identificar e realizar a denúncia aos órgão competentes. Caso a vítima não consiga esperar a chegada das autoridades, o atendente deverá anotar o nome, número para contato, o número do documento de identidade e o endereço da vítima.

Os estabelecimentos que aderirem à campanha passarão por um treinamento virtual, por meio de uma cartilha com tutorial de capacitação dos funcionários. O material está disponível no site oficial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Em Franca, a situação de violência contra a mulher não é muito diferente do restante do país. De acordo com dados da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), por dia, pelo menos uma mulher é agredida na cidade e, quando se trata de outras formas de violência doméstica, além da lesão corporal; como ameaça; calúnia; injúria; difamação e injúria; esse número tende a ser ainda maior, o que representa uma média de quatro mulheres vítimas por dia.

Texto: Gabbriela Veras / Ascom – Mulheres Republicanas
Foto: Câmara Municipal de Franca

Reportar Erro