Aumenta a participação dos jovens no Republicanos

Das siglas com perfil centro-direita, o Republicanos é o que desponta com mais filiados entre 16 e 34 anos

Publicado em 12/06/2020 - 09:15

Brasília (DF) – Levantamento interno com base nos dados divulgados em abril pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que aumentou o número de jovens filiados ao Republicanos com vista às Eleições 2020. Dos partidos que têm o perfil centro-direita, o Republicanos é o que desponta com mais filiados entre 16 e 34 anos.

A sigla saiu de 109.852 filiações nessa faixa etária em dezembro de 2019 e saltou para 124.252 em abril de 2020. O crescimento republicano acumulou a expressiva variação positiva de 13,11%, com o registro de 14.400 novos filiados jovens, ocupando a 4ª posição entre os demais partidos.

Para o secretário nacional dos Jovens Republicanos, Renato Junqueira, o aumento de filiações de jovens ao partido é uma demonstração de que a sigla acredita e apoia a participação deles na política como agentes de transformação social.

“Estas filiações são reflexos da valorização que o partido tem dado aos jovens. Nem todos os partidos têm dado a devida atenção a eles, mas nós temos um respeito para com os jovens e acreditamos na capacidade, competência e habilidades, e damos oportunidades. Incentivamos aos que têm pretensão de saírem candidatos e apoiamos aos que querem trabalhar como mobilizadores. Procuramos trabalhar de várias formas com os jovens dentro do partido, e é isso que faz com que tenhamos este alto índice de filiação”, destacou Junqueira.

Mulheres jovens

Ainda de acordo com os dados do TSE, o número de mulheres filiadas ao Republicanos entre 16 e 34 anos somam 62.499, o que representa 50,30% do total de filiados nesta faixa etária. Os dados mostram que está havendo uma mudança comportamental encabeçada pelas mulheres mais jovens. É o que observa a secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto (Republicanos).

“Nós observamos um crescimento das candidatas na faixa de 20 a 24 anos. Elas chegaram a representar nas eleições de 2018, 51,2% das candidaturas de mulheres. Então, é um dado animador que podemos associar à tão almejada mudança comportamental e que, apesar de tantos entraves, nós estamos, sim, no caminho certo”, avalia a secretária.

Por ser um ano eleitoral, o Republicanos já definiu as metas que pretende alcançar nas urnas, e a eleição de mais mulheres na política ocupa posição estratégica no planejamento nacional para o pleito eleitoral deste ano. “As mulheres precisam ocupar os espaços de poder para defender políticas públicas voltadas para o público feminino”, é o que tem defendido a secretária nacional do Mulheres Republicanas, a deputada federal Rosangela Gomes (RJ).

Além disso, o Republicanos tem oferecido voz e vez para as mulheres superarem os desafios da participação na política. Na sigla, por exemplo, as republicanas têm participando de seminários, congressos, cursos e reuniões locais de preparação para o pleito eleitoral. Para contribuir com a capacitação, o Mulheres Republicanas e a Agência Republicana de Comunicação (ARCO) lançaram o e-book “10 dicas para ser uma candidata vencedora”.

Por Agência Republicana Brasileira (ARCO)

 

Reportar Erro