Marilda Portela prevê programa de atenção a alunos com déficit de atenção em BH

Marilda Portela quer programa de atenção a alunos com TDAH em Belo Horizonte

Proposta sugere a implantação, nas escolas, de programas de diagnóstico, esclarecimentos, tratamento e acompanhamento do déficit de atenção

Publicado em 08/08/2017 - 00:00

Marilda Portela prevê programa de atenção a alunos com déficit de atenção em BH
Proposta sugere a implantação, nas escolas, de programas de diagnóstico, esclarecimentos, tratamento e acompanhamento do déficit de atenção

Belo Horizonte (MG) – A Câmara Municipal de Belo Horizonte analisa projeto de lei da vereadora Marilda Portela (PRB) que estimula a implantação nas escolas de programas de diagnóstico, esclarecimentos, tratamento e acompanhamento do Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).

A síndrome, relata a autora na proposta, é muito comum, com mais de 2 milhões de casos no Brasil. Em geral, começa na infância e pode persistir na vida adulta contribuindo para baixa autoestima, relacionamentos problemáticos e dificuldade na escola ou no trabalho.

O TDAH é caracterizado em geral por distração, agitação, hiperatividade, impulsividade, esquecimento, desorganização e adiamento crônico. “Todas as pessoas, tanto crianças quanto adultos, apresentam estas características em algumas situações – o que é completamente normal. Porém, quando as queixas e os problemas causados por elas são muito intensos, pode ser que a causa dos problemas seja o TDAH”, explica Marilda no projeto.

Caso a proposta seja aprovada, os programas de diagnóstico consistirão em orientação periódica dos professores, coordenadores, diretores e demais funcionários das escolas, através de equipe multidisciplinar formada por pedagogos, psicopedagogos, psicólogos, pediatras, psiquiatras, neurologistas, fonoaudiólogos, sociólogos e assistentes sociais, entre outros integrantes da rede pública estadual de saúde, sobre aspectos do TDAH, suas consequências, como identificá-lo e como lidar com o aluno diagnosticado com esse transtorno.

“Apesar do TDAH ainda não ter cura, descobrir a síndrome e promover o tratamento pode ajudar muito as nossas crianças”, finalizou Marilda Portela.

Texto: Agência PRB Nacional
Foto: Cedida

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

Reportar Erro