Vitor Paulo e governador Ibaneis anunciam reabertura da Casa da Mulher Brasileira

A unidade de apoio à mulher vítima de violência doméstica será reaberta de forma parcial até que uma solução para o prédio seja adotada

Publicado em 11/01/2019 - 00:00

Brasília (DF) – A Casa da Mulher Brasileira de Brasília será reaberta ao público de forma parcial, segundo informou o governador Ibaneis Rocha durante visita ao local nesta quinta-feira (10). Ele estava companhado do secretário de Relações Institucionais, Vitor Paulo, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves e da secretária da Mulher do DF, Ericka Filippelli, entre outras autoridades.

O secretário de Relações Institucionais, Vitor Paulo, considera de suma importância esse trabalho de atendimento à mulher vítima de violência doméstica. “O governador demonstrou sua sensibilidade com o problema ao definir como prioridade máxima o funcionamento dessa unidade, ainda que de forma parcial, e também a implantação dos postos de apoio nas estações metroviárias, dada a situação de violência em que grande parte das mulheres do Distrito Federal encontra-se inserida”, destacou Vitor Paulo.

No entendimento de Ibaneis Rocha, o ideal é funcionar de forma parcial para que o prédio não continue fechado como está há quase um ano. Parte da edificação foi condenada pela Defesa Civil devido a problemas como rachaduras no teto e falhas na fundação.

Ao mesmo tempo em que o governo reabre o atendimento na Casa da Mulher Brasileira, outros pontos de apoio vão funcionar em estações do Metrô do DF. “A opção nossa é levar o atendimento à mulher nas cidades”, pontuou o governador.

O governador ainda acrescentou que já existe um projeto aprovado em parceria com o Governo Federal de se levar a Casa da Mulher para outras cidades como Ceilândia e Planaltina.

Ibaneis Rocha garantiu que a intenção do governo é de dar um atendimento mais rápido possível e de forma prioritária. Ele considera que são muitos os casos de feminicídio e de agressões às mulheres. “Essa cultura da impunidade em relação às nossas mulheres tem que acabar no Distrito Federal”, afirmou o governador.

Reportar Erro