João Luiz convoca AM Energia para explicar apagões no interior do estado

Projeto determina que planos de saúde justifiquem negativa de cobertura

Projeto do deputado João Luiz obriga as operadoras de planos de saúde a justificarem a negativa de cobertura ao consumidor amazonense

Publicado em 10/11/2019 - 00:00

Manaus (AM) – Tramita na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas projeto de lei nº 105/2019, de autoria do deputado estadual João Luiz (Republicanos-AM) que obriga as operadoras de planos de saúde a justificarem a negativa de cobertura ao consumidor amazonense.

O texto já passou por análise e recebeu pareceres favoráveis das comissões de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), de Assuntos Econômicos (CAE), e de Defesa do Consumidor (CDC), e deve entrar na pauta de votação do plenário da Aleam nos próximos dias.

Conforme a proposta, as operadoras de planos e seguros privados de assistência à saúde devem fornecer ao consumidor um relatório, com informações e documentos, que expliquem, de forma clara, o motivo da recusa de cobertura parcial ou total de procedimento médico, cirúrgico ou de diagnóstico, bem como de tratamento e internação.

Na avaliação de João Luiz, a proposta vai garantir mais transparência ao consumidor. “Com essa medida, vamos evitar o calvário do consumidor na busca do comprovante de negativa que tanto o aflige em um momento de fragilidade. E, uma vez de posse dessas informações, o consumidor pode discordar e recorrer à justiça para fazer valer seu direito”, justificou o parlamentar.

João Luiz comentou, também, que, atualmente, o consumidor enfrenta muitos entraves para obter documentos das operadoras, tornando inviável a defesa dos seus direitos.

Ainda de acordo com o texto, as informações deverão ser prestadas por meio de documento escrito, com identificação do fornecedor, e poderá ser encaminhado por fax ou qualquer outra forma que assegure o recebimento ao consumidor, sendo vedada a utilização exclusiva de comunicação verbal.

“Vale ressaltar, que o fornecimento dessas informações ocorrerá de forma gratuita, sem qualquer ônus para o consumidor”, afirmou João Luiz.

O projeto prevê, ainda, que o hospital entregue ao paciente, no local do atendimento médico e sem protelação, o laudo ou relatório do médico atestando a necessidade de intervenção médica e, se for o caso, de sua urgência.

Texto: Jeane Glay/Ascom – deputado estadual João Luiz
Foto: Mauro Smith
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro