Lei visa aumentar a doação de medula óssea no Ceará

Lei visa aumentar a doação de medula óssea no Ceará

De autoria de David Durand, lei determina que laboratórios incentivem usuários a doarem amostras de sangue para manutenção do banco de doadores de medula óssea no estado

Publicado em 21/06/2019 - 00:00

Fortaleza (CE) – As chances de encontrar um doador de medula óssea compatível no Brasil é tarefa muito difícil, um em cada 100 mil. Por isso, quanto mais pessoas se colocarem à disposição, mais fácil fica de ajudar a salvar vidas. É o que o que defende lei de autoria do deputado estadual David Durand (PRB-CE) em vigor desde o início de 2019.

Lei visa aumentar a doação de medula óssea no CearáA lei, sancionada no dia 8 de janeiro, torna obrigatório os laboratórios e clínicas de análise sanguínea proporem aos usuários a doação de amostras de sangue para manutenção do banco de dados de doadores de medula óssea do Ceará.

Com a lei, os estabelecimentos de análise podem propor aos eventuais doadores de órgãos a possibilidade de doação de 5 ml a 10 ml de sangue. A resposta sobre a doação da amostra deve ficar junto ao cadastro do usuário. Com isso, o banco de dados sobre potenciais doadores de medula óssea pode crescer ainda mais no estado.

“A intenção é conscientizar as pessoas sobre a importância da doação de medula e assim ampliar as chances para quem precisa de um transplante”, destacou David Durand.

A amostra de sangue, com a concordância do usuário, deverá ser enviada para o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), ou outra entidade habilitada para armazenamento, conservação e alimentação do banco de dados de doadores de medula óssea.

Texto: Agência PRB Nacional
Foto 1: Cedida
Foto 2: Ascom – deputado estadual David Durand

Reportar Erro