“Fato indecente, repugnante, que nos causa repulsa e indignação”

Artigo escrito por Tia Ju, deputada estadual pelo PRB Rio de Janeiro e presidente da Comissão da Criança, do Adolescente e do Idoso da Alerj

Publicado em 14/09/2016 - 00:00

A cidade do Rio de Janeiro amanheceu no último domingo (11/9) sob o impacto de um fato trágico. Descobrimos logo cedo que um coronel da Polícia Militar, que tem a responsabilidade de gerir o Fundo Beneficente da corporação, foi preso em flagrante por dois corajosos e destemidos colegas de farda sob a acusação de estar estuprando uma criança de apenas dois anos de idade, dentro de um carro, em Ramos, na zona norte do Rio. O fato é uma indecência, entristece a todos nós e causa repulsa e indignação, principalmente porque seu protagonista é um agente público que deveria dar exemplo para a sociedade e, no entanto, acabou se envolvendo em um crime tão bárbaro quanto hediondo.

Exalto a coragem e a tenacidade dos dois bravos policiais. Eles demonstraram grande senso profissional e caráter ao se recusarem a aceitar suborno oferecido por este monstro chamado Pedro Chavarry Duarte, que precisa ser sumariamente afastado do convívio de seus colegas e ser posto à margem da sociedade com perda de liberdade por muitos anos, caso seja comprovada a sua culpa. Na condição de presidente da Comissão da Criança, do Adolescente e do Idoso da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), vou acompanhar de perto os desdobramentos desse caso para garantir que a Justiça seja feita, desde a instauração do inquérito policial até o julgamento final do acusado.

Comprovada a prática do delito, a punição deve ser na proporção da gravidade do crime, dando uma resposta à sociedade, evitando que casos como este se repitam. Por fim, estarei fiscalizando o cumprimento de todos os direitos e garantias assegurados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para a vítima e seus familiares, incluindo todo o aparato psicológico necessário.

*Tia Ju é deputada estadual pelo PRB Rio de Janeiro e presidente da Comissão da Criança, do Adolescente e do Idoso da Alerj

Reportar Erro