Audiência pública “Nossas Estradas” tem forte engajamento em Caxias do Sul

A audiência foi proposta pela deputada estadual Fran Somensi (PRB-RS) e abordou a atual situação e o futuro das rodovias da Serra Gaúcha

Publicado em 04/07/2019 - 00:00

Porto Alegre (RS) – A audiência organizada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa reuniu os cinco deputados da Serra: Fran Somensi (PRB-RS), Elton Weber, Carlos Búrigo, Pepe Vargas e Neri, o Carteiro. Além dos deputados, estiveram no encontro secretários do governo estadual, prefeitos, vereadores, representantes de classe e a comunidade regional.

A audiência foi proposta por Fran Somensi e abordou a atual situação e o futuro das rodovias da Serra, praticamente lotou a câmara de vereadores de Caxias do Sul em mais de três horas de debate, na última segunda feira. De acordo com a republicana, o debate teve o intuito de reunir o governo, as entidades e a população para que se faça um levantamento das demandas, se defina as prioridades e se busque a melhor solução e saída para as rodovias da Serra de maneira objetiva e conjunta. “Nós precisamos deixar de ser expectadores e sermos protagonistas das mudanças que queremos. Para isso, precisamos unir nossas forças e definirmos: Que futuro nós queremos para nossas estradas?”, questionou a deputada.

Em seu discurso, Fran ressaltou a importância da Serra Gaúcha para a economia do estado, e ao mesmo tempo, falou sobre os altos custos da carga tributária, da logística e transporte e como isso está impactando na vida das pessoas. “Hoje na Serra Gaúcha, 90% da carga é transportada pelas nossas rodovias, o custo com logística e transporte ultrapassa os 20%, enquanto que, em países desenvolvidos esse custo gira entre 6 e 8%, e em outras regiões do Brasil, como Paraná e São Paulo, na faixa de 15 a 17%. Isso diminui a nossa competitividade e estimula as empresas a deixarem a nossa região e o nosso estado”, considera.

O secretário extraordinário de Parcerias RS, Bruno Vanuzzi, falou sobre as projeções do governo em relação as concessões, enquanto que os representantes de classe, prefeitos, vereadores e comunidade colocaram seus posicionamentos em relação ao tema. Dentre os representantes de Classes institucionais, falaram no painel o presidente da Associação dos Municípios da Encosta Superior Nordeste (Amesne), o prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin; o presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede Serra), professor Isidoro Zorzi; e o presidente da Assurcon (Associação dos Usuários das Rodovias Concedidas), David Vicenzo.

Das principais reivindicações do Corede Serra estão a duplicação da ERS 122 entre Farroupilha e São Vendelino; a duplicação e melhorias da ERS 470 que vem de Nova Prata, passando por Bento Gonçalves e vai até Lagoa Vermelha; e a duplicação da BR 116 que passa por Caxias do Sul, Vacaria até a divisa com Santa Catarina, por onde se escoa boa parte da produção da Serra, principalmente no que tange aos veículos de grande porte. David Vicenzo presidente da Assurson, defendeu o modelo de pedágios comunitários, a exemplo dos pedágios de Coxilha e Portão. “Alguém aqui esta noite é contra esse modelo de pedágio, com tarifas módicas, mas que duplicou 42 quilômetros de estradas?”, questionou Vicenzo.

O prefeito de Bento Gonçalves Guilherme Pasin, presidente da Amesne, defendeu as concessões e parcerias público privadas como forma de desenvolvimento econômico a exemplo do que ocorre em Santa Catarina, Paraná e São Paulo. O prefeito de Nova Araçá, Pedro Sotili disse que é a favor das PPs e da extinção de qualquer empresa pública que não esteja dando lucro.

Já o prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves defendeu que as obras podem ser executadas através de parcerias entre as prefeituras e empresários da região. “Para fazer o trevo da Tramontina nós passamos por 72 reuniões, mas fizemos e por meio de renúncia de parte do ICMS estamos pagando…Hoje, Farroupilha e mais 14 municípios da Serra tem autorização do DAER para realizar obras e melhorias nas estradas, Caxias com um orçamento de R$ 2 bilhões também pode fazer”, comenta Gonçalves.

Por parte do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer), quem falou foi o diretor de operações rodoviárias Walter Moreira Junior. Entre as novidades apresentadas por Walter está a conclusão da rótula de Forqueta, que até dias atrás, não estava prevista no último anúncio feito pelo governo de R$ 12,4 milhões que serão investidos nas rodovias da Serra ainda em 2019. Segundo Walter o projeto está finalizado no Daer e orçado em R$ 200 mil. “Esse trecho será atendido pela empresa Encopav e está dentro do valor de R$ 3,3 milhões que estão destinados às melhorias da ERS 122, neste caso, uma intercessão no km 65 da rodovia” explica.

De acordo com o secretário de logística e transporte Juvir Costella, as obras de reparação na ERS 122 entre Farroupilha e São Vendelino devem iniciar nos próximos dias.

Mais audiências

A deputada estadual Fran Somensi explicou que essa foi a primeira de uma sequência de três audiências públicas para tratar do tema. As próximas estão programadas para Gramado e Vacaria para o mês de agosto. Depois de finalizada a terceira audiência, será formatado um documento consistente em dados e informações para ser entregue ao governador do estado pelos cinco deputados da Serra. “Precisamos ouvir as entidades, os representantes de classes e os usuários das rodovias, ou seja, ouvirmos a comunidade antes de tomarmos qualquer decisão”, disse a republicana.

Texto e foto: Ascom – deputada estadual Fran Somensi

Reportar Erro